Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Inglaterra passa a aceitar entrada de brasileiros vacinados com CoronaVac sem passar por quarentena

Quem tiver duas doses de uma vacina contra a Covid-19 precisará apenas apresentar teste negativo para a doença, além do comprovante de vacinação. Antes, viajantes com esta vacina não eram considerados completamente imunizados e tinham que cumprir isolamento de 10 dias.

_________________Publicidade_________________

A Inglaterra anunciou nesta última segunda-feira (8) que viajantes que receberem as vacinas Sinovac (CoronaVac), Sinopharm e Covaxin não precisarão mais cumprir dez dias de quarentena. De acordo com o governo do Reino Unido, a medida passa a valer em 22 de novembro.

Anteriormente, o país não reconhecia os imunizados com estas vacinas como “completamente protegidos” e por isso tinham que respeitar um isolamento ao desembarcar.

No mês passado, o Brasil saiu da “lista vermelha” para a Covid-19. Com a medida, a quarentena em hotéis do governo no território inglês deixou de ser obrigatória.

Viajantes brasileiros devem apenas apresentar um teste negativo para a doença, além do comprovante de vacinação com ao menos duas semanas desde a última dose.

Os vacinados no Brasil serão reconhecidos como qualquer indivíduo britânico vacinado dentro do país, contanto que tenham sido vacinados com os imunizantes abaixo:

  • Oxford/AstraZeneca
  • Pfizer/BioNTech
  • Moderna
  • Janssen
  • Sinovac (adotada no Brasil com o nome CoronaVac, produzida em parceria com o Instituto Butantan)
  • Sinopharm Beijing
  • Coxavin

O que muda?

Com a saída do Brasil da “lista vermelha”, a Inglaterra reabriu seu território para viajantes comuns. Antes, apenas cidadãos britânicos, ou estrangeiros residentes, podiam passar – com restrições.

Todo os viajantes maiores de 11 anos ainda são obrigados a fazer um teste de Covid-19 nas 72 horas anteriores ao embarque.

Não é mais obrigatório reservar um dos hotéis autorizados pelo governo britânico para ficar dez dias em quarentena.

No entanto, ainda será necessário preencher o formulário “Passenger Locator”, para acompanhamento do viajante em caso de infecção.

A decisão, no entanto, vale apenas para a Inglaterra. Outros países que integram o Reino Unido têm autonomia para decidir sobre seus visitantes. A Escócia, País de Gales e a Irlanda do Norte mantêm o Brasil em sua “lista vermelha”.

Centro de testes para o diagnóstico do coronavírus em Southampton, na Inglaterra — Foto: Andrew Matthews/AP

Centro de testes para o diagnóstico do coronavírus em Southampton, na Inglaterra — Foto: Andrew Matthews/AP

Como comprovar a vacinação?

Quem se vacinou no Brasil poderá comprovar a vacinação com o certificado nacional emitido pelo Ministério da Saúde em inglês como em espanhol. É preciso que apareçam as seguintes informações de maneira clara:

  • nome e sobrenome do viajante
  • data de nascimento
  • marca e fabricante da vacina
  • data de vacinação de cada uma das doses
  • país ou território em que a vacina foi aplicada

Além disso, também é necessário:

  • fazer teste para Covid no 2º dia após a chegada
  • preencher o formulário “Passenger Locator”

E se não estiver 100% vacinado?

Viajantes que receberam apenas uma dose de vacina – ou duas doses de vacinas que não aparecem na lista – não são considerados “totalmente vacinados” pelo governo inglês e devem seguir regras diferentes:

  • apresentar teste de Covid feito 72h antes
  • fazer dois testes (a 2 e 8 dias) após a chegada
  • preencher o formulário “Passenger Locator”
  • autoisolamento em casa ou outro lugar por 10 dias

Por G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas