Image
Image
Image
Image
Image


    #

    Polícia indicia por tortura os dois seguranças que agrediram jovem em supermercado em SP

     

    A Polícia Civil indiciou por tortura, nesta segunda-feira (9), os dois seguranças que chicotearam e agrediram o adolescente, de 17 anos, em uma sala do supermercado da rede Ricoy, na Zona Sul de São Paulo. A vítima fez o reconhecimento deles na tarde desta segunda-feira (9), no 80º Distrito Policial de São Paulo.

    Um deles é Waldir Bispo dos Santos, que foi preso neste sábado (7). Ele se apresentou à polícia no Aeroporto de Congonhas acompanhando do advogado. Santos é o segundo segurança preso por envolvimento no caso. O primeiro, Davi de Oliveira Fernandes, foi detido nesta sexta-feira (6).

    O adolescente foi encaminhado para um abrigo da Prefeitura da cidade de São Paulo, nesta sexta-feira. A família do jovem se sentiu ameaçada e, por isso, será feito pedido de inclusão no Programa de Proteção de Crianças e Adolescentes Ameaçados (PPCAAM).

    Segundo informações do Ariel de Castro Alves, do Conselho Estadual de Direitos Humanos, a medida pretende proteger o adolescente.

     
    Polícia investiga caso de jovem torturado após furtar chocolates de mercado na Zona Sul

    Polícia investiga caso de jovem torturado após furtar chocolates de mercado na Zona Sul

    Um vídeo que circulava nas redes sociais mostrava a agressão praticada com fios elétricos por dois seguranças em unidade da loja Avenida Yervant Kissajikia, Zona Sul da capital paulista. O jovem, que teria furtado chocolates, apareceu nu, com as mãos amarradas e a boca amordaçada nas imagens.

    O encaminhamento do adolescente para o abrigo do município foi acompanhado pelo Conselho Tutelar da Cidade Ademar e pelo Centro de Referência da Assistência Social (Creas). A Vara da Infância e Juventude de Santo Amaro acompanha o caso.

    O adolescente estava morando com um dos irmãos, que concordou com o acolhimento dele em um abrigo. “O pai do adolescente morreu no começo do ano e a mãe, conforme relatos da família, sofre de alcoolismo e não foi localizada”, disse Castro Alves.

    O adolescente disse que o caso ocorreu no mês passado e que foi a terceira vez que os mesmos seguranças o agrediam por furto de chocolate. Segundo ele, embora o vídeo tenha 40 segundos, a sessão durou 40 minutos. O rapaz mora na rua desde os 12 anos e já passou pela Fundação Casa.

    A pena para um crime de tortura pode variar de 2 a 8 anos de prisão.

    Image
    Image
    Image

    PUBLICIDADE

    Image