nov_azul_7.png

Acre

Previous Next

Aldeia Sagrada Yawanawá recebe visita do governador Gladson Cameli

Com o propósito de ampliar o diálogo com as comunidades indígenas e oferecer benefícios da sua gestão, o governador Gladson Cameli visitou, no último fim de semana, a Aldeia Sagrada do povo Yawanawá, no Alto Rio Gregório, em Tarauacá. Os moradores receberam a equipe do governo com cantos e danças, evocando a proteção dos espíritos luminosos da floresta.
O cacique Bira Nixiwaka ressaltou que a presença do chefe de Estado na aldeia é uma demonstração de respeito do atual governo para com os índios do Acre. Para dar as boas-vindas ao visitante, Bira, uma das principais lideranças indígenas do Brasil, entoou orações no idioma nativo e fez uma defumação de sépa (ou sepá, ou sepã), uma resina sagrada para os Yawanawá, para evocar a proteção ao governador e à sua esposa Ana Paula, que o acompanhava.
“Desde o início da nossa civilização, os nossos sábios identificaram que os espíritos negativos e a morte não gostam do cheiro do sépa. Portanto, essa planta evoca a proteção e a saúde. Assim estamos recebendo o governador, pedindo a proteção dos espíritos da floresta, para que ele possa cumprir a sua missão de levar paz e prosperidade para o povo acreano”, disse Bira.

O cacique Yawanawá explicou que a Aldeia Sagrada é um lugar onde a presença da sua ancestralidade está muito viva. “Receber o governador aqui é muito importante para o nosso povo. Isso nos deixa com a alma lavada e demonstra o seu respeito por nossa cultura. Alguém só vai na casa de outra pessoa se souber que ali não existe violência, que é um lugar de paz. Então é com esse espírito pacífico e amoroso que a família Yawanawá tem o prazer de receber o nosso governador”, disse Bira.
Por sua vez, Gladson Cameli agradeceu a recepção do cacique Bira e afirmou perante a toda a comunidade que a sua gestão pretende trazer novos benefícios para todos os povos indígenas do Acre. “A paz e a tranquilidade são notáveis nesta Aldeia Sagrada. Estamos empenhados em valorizar o conhecimento dos povos originais do Acre. Tanto que pretendo visitar todas as aldeias das mais diversas etnias do nosso estado, levando a mensagem de que o nosso governo reconhece a importância de vocês. O ecoturismo é uma fonte de renda para milhares de pessoas no Acre e vamos fortalecê-lo apoiando os festivais indígenas, para que o mundo reconheça essa riqueza cultural e espiritual”, salientou o governador.
Para a primeira-dama Ana Paula Cameli, a oportunidade de visitar as aldeias indígenas acreanas permite às pessoas ampliarem os seus conhecimentos sobre a força regeneradora da natureza. “Estamos aqui para compartilhar essa paz que os Yawanawá cultivaram ao longo do tempo. A gente percebe o esforço dessa comunidade em preservar conhecimentos que são importantes não só para o Acre, mas para o mundo inteiro. Viajamos até aqui para receber e aprender com essa cultura,” ressaltou.
Matsini, uma liderança da Aldeia Mutum, também próxima ao Rio Gregório, veio encontrar-se com o governador e a sua equipe. Ele destacou que a visita da principal autoridade do estado abre caminhos para novas conquistas aos povos indígenas.

“A presença do governador na Aldeia Sagrada nos mostra que é possível corrigir os mal-entendidos dos contatos com os povos indígenas. Por isso temos que agradecer ao Criador por podermos receber a maior autoridade do nosso estado. Para nós isso é um presente porque faz parte da evolução. É importante que o governador sinta a floresta no seu coração. Um guerreiro tem que estar sempre forte para ajudar o seu povo e precisa de aliados para fortalecê-lo. E nós estamos pronto para ajudá-lo na sua missão de governar o estado”, disse Matsini.
Mergulhando na espiritualidade Yawanawá
O cacique Bira levou o governador e a sua equipe para conhecerem um dos lugares mais sagrados do seu povo, o Terreiro do Muka. Ali são cultivadas plantas para a produção de medicamentos naturais que comprovadamente restauram a saúde das pessoas. Foi oferecido ao governador e à primeira-dama um banho ritual de ervas para limpeza das energias negativas e para a proteção do corpo e do espírito.

Durante a noite, Bira Nixiwaka convocou toda a comunidade da Aldeia Sagrada para mostrar ao governador cantos, danças e rituais, o ponto alto da cultura espiritual milenar dos Yawanawá. Durante mais de cinco horas, o governador participou com os pajés de um trabalho que evoca as forças de cura da floresta.

Projetos de preservação
O governador, o cacique Bira, o seu filho Bira Júnior e outras lideranças do povo Yawanawá se reuniram no dia seguinte para debater projetos que beneficiem os moradores do Alto Rio Gregório. Entre eles ficou definido que o governo do Estado dará todo o apoio necessário para que o Festival Yawa de 2021 seja realizado em sua plenitude, depois da pandemia. Também será elaborado um plano para o reflorestamento das margens do Rio Gregório e um grande viveiro de plantas medicinais.
Na conclusão do encontro, o governador Gladson Cameli reafirmou que a sua gestão pretende incentivar uma agenda ambiental que traga benefícios a todos os habitantes da floresta. Também ressaltou que as políticas públicas para os povos indígenas serão ampliadas para que haja um espírito verdadeiro de colaboração entre o governo e os saberes tradicionais. Destacou ainda que os projetos a serem executadas pelo seu governo para os povos indígenas serão traçados ouvindo as principais lideranças de todas as etnias que habitam o Acre desde tempos ancestrais.

 

 sicredi2.png

© Copyright 2015 - Empresa Cruzeirense de Telecomunicações de Rádio e TV LTDA

Image
Image
Image

PUBLICIDADE

Image