setembro_amarelo_tv_jurua.png

Acre

Uniforme escolar do estado tem qualidade atestada por federação das indústrias

O fardamento escolar que será entregue gratuitamente pelo Governo do Acre reunirá qualidade e conforto técnico. Os tecidos são apropriados para a região de clima quente e úmido, foi o que garantiu nesta sexta-feira, 17, o representante da Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac), Mozani Mariano, durante entrevista no quadro “Papo de Cafezinho”, no programa Cidadania, exibido na Rádio Aldeia FM. Participaram do debate ainda, o representante do setor têxtil, Abraão Figueiredo, e o subsecretário de Educação, Márcio Mourão.

A modelagem do fardamento foi desenvolvida pelo Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil (CETIQT) do Rio de Janeiro, conceituado internacionalmente em modelagem de qualidade. Mariano destacou que o modelo de uniforme desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes foi pensado com a participação de técnicos da Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (SEICT), do setor têxtil, Fieac e Senai.

“Esse é um projeto feito a muitas mãos, idealizado com participação coletiva. Para se ter uma ideia, para cada peça apresentada foi feita um molde. Além disso, a federação acompanha a capacitação dos profissionais que trabalham com as confecções e avaliação dos protótipos até chegar à linha de produção”, explicou Mozani.

Calças e saias serão confeccionadas com helanca, tecido que possui durabilidade de até dois anos, elasticidade e flexibilidade que se adaptam aos movimentos do corpo. As camisetas terão gramatura elevada com malha fria, unindo qualidade e conforto técnico.

Abrahão Figueiredo, que é presidente do Sindicato das Indústrias de Confecção do Estado, frisou a criação de um ambiente favorável economicamente, desde os incentivos fiscais oferecidos pelo Estado para o setor têxtil no início do ano passado, até o programa de compras governamentais.

“O Estado chamou as indústrias, gerou incentivo fiscal e administrativo. Em contrapartida, as malharias se prepararam tecnologicamente para esse momento em que vão atender a 160 mil alunos da rede estadual, além do fardamento dos municípios que também serão atendidos pela indústria”, acrescentou Abrahão.

Ainda durante a participação no programa, Mozani chamou atenção para o aquecimento da economia familiar, já que costureiras desempregadas serão selecionadas para trabalhar pela terceirização feita pelas empresas.

“Estamos felizes com essa iniciativa porque aquece a economia do estado, fazendo com que não somente o Estado acredite nas empresas, mas, o mercado passará a conhecer a capacidade do setor”, comentou Mozani.

O setor industrial no ramo de confecções emprega mais de 2 mil pessoas em todo o estado. O setor tem conceito social de energia limpa e capacidade produtiva. Para a Fieac, essa também é uma oportunidade da sociedade conhecer a capacidade técnica da indústria local.

Márcio Mourão, subsecretário de Educação, destacou a sensibilidade do governador Gladson Cameli, que decidiu doar o fardamento escolar após ser abordado por uma mãe de aluno que pediu a doação do uniforme.

 

 sicredi2.png

© Copyright 2015 - Empresa Cruzeirense de Telecomunicações de Rádio e TV LTDA

Image
Image
Image

PUBLICIDADE

Image