Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Homem é preso em operação da PF por armazenar e compartilhar materiais pornográficos de crianças e adolescentes

Operação ‘Dark Cloud’ foi deflagrada nesta quinta-feira (28) em Rio Branco após denúncia e cumpriu um mandado de busca e apreensão.

_________________Publicidade_________________

Um homem foi preso em flagrante por suspeita de armazenar e compartilhar materiais com cenas de sexo envolvendo crianças e adolescentes. A prisão foi realizada em operação da Polícia Federal nesta quinta-feira (28), em Rio Branco.

A operação Dark Cloud, deflagrada nesta quinta, cumpriu um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal do estado do Acre. O objetivo da ação é combater o abuso sexual infantil pela internet.

Conforme a PF, a investigação é sobre a conduta de um suspeito que teria armazenado e disponibilizado fotografias e vídeos contendo cenas de sexo explícito ou pornográficas envolvendo criança ou adolescente. As penas desses crimes variam de 3 a 6 anos no caso de compartilhamento e de 1 a 4 anos nos casos de armazenamento.

Homem é preso em operação da PF por armazenar e compartilhar materiais pornográficos de crianças e adolescentes — Foto: Arquivo/PF

Homem é preso em operação da PF por armazenar e compartilhar materiais pornográficos de crianças e adolescentes — Foto: Arquivo/PF

As investigações começaram em agosto deste ano, após notícias de crime encaminhadas pelo National Center for Missing and Exploited Children (NCMEC) ao serviço de repressão aos crimes de ódio e pornografia infantil (SERCOPI) da divisão de repressão a crimes cibernéticos da Polícia Federal em Brasília.

O órgão então fez o tratamento inicial das informações e depois as investigações foram aprofundadas pela delegacia especializada na Superintendência da Polícia Federal no Estado do Acre.

Ainda segundo a polícia, o nome da operação “Dark Cloud” em tradução livre do inglês para o português, significa “nuvem sombria”. O nome foi escolhido porque o investigado estaria usando um serviço de computação em nuvem para armazenar e disponibilizar os arquivos contendo material de abuso sexual infantojuvenil.

A Polícia Federal alerta que armazenar em aparelhos eletrônicos (celulares, computadores, e outros) imagens e vídeos de cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo crianças ou adolescentes configura crime previsto no Estatuto da Criança e Adolescente.

Por G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas