Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Governo recupera mirante do Parque Nacional da Serra do Divisor

_________________Publicidade_________________

SECOM

Um termo de cooperação entre a Secretaria de Estado de Empreendedorismo e Turismo (Seet), o Departamento de Estradas de Rodagem do Acre (Deracre) e o ICMBio permitiu a recuperação do Mirante da Jacirana, no Parque Nacional da Serra do Divisor, a noroeste do estado.

O ICMBio permitiu a retirada de quatro maçarandubas para obter madeira para a construção, também cedeu alguns insumos, como pregos e corrente de motosserra, e vai fazer a limpeza da trilha que dá acesso ao mirante. O Deracre contribuiu com o combustível para a motosserra e a comunidade local ofereceu a mão de obra.

A primeira foto mostra o mirante antes da reforma. A segunda, do mirante reformado Foto: Cedida.

O mirante permite que a exuberância da serra seja vista do alto. Localizado a 500 metros de altitude, é um excelente ponto de observação da floresta e oferece um verdadeiro espetáculo a cada nascer e pôr do sol.

“O mirante é uma das principais atrações do local, que conta ainda com belíssimas cachoeiras. A estrutura estava envelhecida, com a madeira apodrecida. A parceria vai permitir que continue sendo utilizado pela comunidade e pelos turistas”, explica a titular da Seet, Eliane Sinhasique.

Parque Nacional da Serra do Divisor

É o quarto maior Parque Nacional Brasileiro e é considerado também o local de maior biodiversidade da Amazônia. Criada em 1989, a unidade de conservação (UC) está situada na fronteira entre o Acre e o Peru, com território distribuído pelos municípios de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter e Rodrigues Alves. O acesso é por Mâncio Lima.

Criada em 1989, a unidade de conservação (UC) está situada na fronteira entre o Acre e o Peru Foto: Arquivo.

O Rio Moa é uma das principais atrações do parque, possui lindas cachoeiras e corredeiras, e é navegável por embarcações de pequeno porte durante o ano inteiro. Populações indígenas e seringueiras habitam no parque.

O parque pode ser visitado, sem restrição, durante o ano todo.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas