Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Gladson quer compensar perdas de ex-aliados

Os principais partidos que fizeram a coligação para derrotar o PT nas eleições de 2018 encabeçados por Gladson Cameli (PROGRESSISTA), major Rocha (EX-PSDB), Sérgio Petecão (PSD) e Márcio Bittar (MDB) vão chegar em 2022 completamente divididos.

A eleição municipal do ano passado criou uma fissura entre eles impossível de ser consertada. A prova disso é o distanciamento entre seus principais protagonistas.

Para compensar as perdas e garantir a reeleição, o governador Gladson se aproxima do MDB através do senador Márcio Bittar e o deputado federal Flaviano Melo, além dos partidos nanicos.

Acontece que o MDB é dividido em feudos. Flaviano Melo manda em Rio Branco, Mazinho Serafim no Vale do Iaco, Vagner Sales no Juruá e Aldemir Lopes no diretório de Brasiléia. O senador Márcio Bittar boia entre eles.

Os nanicos podem formar um bom exército de candidatos a deputado federal e estadual para ajudar Gladson Cameli a captar votos.

Nesse vai e vêm não existe jantar de graça. O MDB e os nanicos querem ser recompensados com cargos, mas não no ano que vem. É prá ontem! Querem ocupar o espaço no governo no lugar de Sérgio Petecão, Rocha e Mara e de todos aqueles que não estarão com o governador na próxima eleição.

“Quem está mandando a vacina para o Acre é o presidente Jair Bolsonaro, é preciso reconhecer isso e ser grato”. (senador Márcio Bittar)

. As últimas declarações do governador Gladson Cameli semana passada na Coluna do Crica aumentou a rachadura entre ele, o senador Peteca e o vice, Major Rocha.

. Faz parte da disputa eleitoral do ano que vem!

. Apesar do assombro de alguns, rompimentos na política fazem parte do processo.

. Petecão e Rocha não ficarão quietos, podem apostar!

. Mas Gladson Cameli está preparado.

. Com a volta do presidente Lula ao cenário político, lideranças do PT no Acre começam a ficar animados com uma provável volta ao poder.

. Tem que ir devagar, não é assim que funciona, dá muito trabalho.

. É preciso reconstruir pedra por pedra, tijolo por tijolo e isso leva um bom tempo.

. Até porque muitos que estavam com o PT hoje estão com o governo e o PT não tem nada a oferecer.

. A não ser sonhos, ideais, legados, discursos e muito blá, blá, blá…

. Não enche barriga de ninguém, principalmente dos que estão literalmente quebrados, os empresários, a classe média.

. Convencer alguém que será tudo diferente é que são elas…

. Nada do que foi será/de novo do jeito que já foi um dia…

. O Centrão faz com Bolsonaro o que queria fazer com a Dilma: tu ficas aí, mas quem manda é nós!

. Tensão na caserna!

. Viva a dita “dura”, era o que se dizia no boteco do Amadeo em Brasiléia.

. Bom dia, companheiros!

Via: Ac 24 Horas

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas