Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Gladson diz que esse deverá ser o último fim de semana de fechamento do comércio no Acre

Na quinta-feira (1), o Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), expediu, uma nova recomendação ao Governo do Acre, solicitando que o Estado adote medidas de bloqueio ou lockdown, com restrição das atividades não essenciais por cerca de 14 dias,

O governador Gladson Cameli revelou nesta sexta-feira (2) que a medida restritiva de fechamento do comércio deverá ocorrer apenas neste fim de semana – sexta, sábado e domingo.

No entanto, a decisão poderá ir contra uma ordem do Ministério Público do Acre (MP), que recomendou ao governo que possa decretar lockdown de 14 dias, como forma de evitar a propagação do vírus no Estado.

Conforme explicações do chefe do executivo estadual, o motivo é que, após uma reunião com os prefeitos dos 22 municípios acreanos, ficou acordado que cada um deverá decretar as regras em suas respectivas cidades. “Esse deverá ser o último fim de semana com essa medida, conversei com os prefeitos, eles é que deverão decidir o que fazer em seus municípios, seja toque de recolher ou lockdown ou qualquer que seja outra medida”, argumentou.

Além disso, Cameli também se reuniu com representantes do comércio onde acordou algumas regras para que as atividades econômicas possam funcionar com segurança. “Recebi o apoio dos empresários em relação aos cuidados e responsabilidade que cada um terá”, ressaltou.

Recomendação de lockdown do MP

Na quinta-feira (1), o Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), expediu, uma nova recomendação ao Governo do Acre, solicitando que o Estado adote medidas de bloqueio ou lockdown, com restrição das atividades não essenciais por cerca de 14 dias,

“Tempo mínimo necessário para redução significativa das taxas de transmissão e número de casos e redução das pressões sobre o sistema de saúde”, diz o documento.

O órgão fixou o prazo de 48 horas, diante a urgência que o caso requer, para que o Estado informe se acata a presente Recomendação, ou, por outro lado, indique as razões para o não acatamento.

Fonte: Ac 24 Horas

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas