19 de maio de 2022   |   00:39  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Fundação Elias Mansour inicia etapa de valorização do patrimônio cultural em 21 municípios

_________________Publicidade_________________

A Divisão de Patrimônio Histórico e Cultural (DPHC) da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM) retoma o projeto de Articulação Institucional para Fortalecimento, Reconhecimento e Valorização do Patrimônio Histórico e Cultural do Acre, que foi iniciada em julho de 2021.

O projeto faz parte da área de Fomento à Pesquisa, Proteção e Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural do Estado Acre, inserido no Plano Plurianual do governo Gladson Cameli.

O objetivo é sensibilizar os gestores municipais de cultura e áreas afins da importância de trabalhar o patrimônio cultural como um vetor de promoção social, através da implantação de legislação específica e ações educativas sistemáticas e lúdicas que atinjam a compreensão social em 21 municípios acreanos, com exceção de Rio Branco, que já possui legislação própria.

Equipe multifuncional do Projeto. Foto: Hanna Lydiah

No mês de abril, a FEM irá capacitar os gestores municipais de Santa Rosa do Purus, Marechal Thaumaturgo e Porto Walter. Entre as ações planejadas estão: articulação institucional para o fortalecimento da implementação da lei municipal de patrimônio histórico e cultural; capacitação em Educação Patrimonial; oficina de jornalismo cultural; visita técnica dos bens culturais e relatório situacional das atividades desenvolvidas.

Como resultado da etapa do ano de 2021, foram capacitados 251 gestores municipais em 14 municípios, com carga horária total de 188 horas; visita técnica em 120 bens culturais e registro de quase 2.000 fotos.

Segundo o presidente Manoel Pedro o projeto tem sido um grande sucesso devido sua importância para o fortalecimento do patrimônio histórico e cultural.

“Temos visto que os gestores têm conseguido captar a mensagem que o Projeto tem levado aos municípios, que é gerar esse sentimento de pertencimento e zelo por nosso patrimônio histórico e cultural, que é tão intrínseco a nós”, revela ele.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS