Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

FMI defende aumentar impostos para os mais ricos e empresas com altos lucros

Segundo o Fundo, aumento de impostos ajudaria a pagar os "enormes custos causados pela pandemia do novo coronavírus"

Fundo Monetário Internacional (FMI) defende, em um relatório publicado nesta quarta-feira (7), o aumento de impostos para os mais ricos e empresas que tiveram altos lucros em 2020 para ajudar a pagar pelos “enormes custos causados pela pandemia do novo coronavírus“.

“Para ajudar a atender às necessidades de financiamento relacionadas à pandemia, os formuladores de políticas podem considerar uma contribuição de recuperação temporária da Covid-19, cobrada sobre altos rendimentos ou riqueza”, diz o documento.

“Para acumular os recursos necessários para melhorar o acesso aos serviços básicos, melhorar redes de segurança e revigorar os esforços para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, reformas tributárias internacionais são necessárias, especialmente enquanto a recuperação ganha impulso”, continua. 

Em uma entrevista coletiva, Paolo Mauro, do FMI, afirmou que existe uma “erosão” nas taxas pagas por quem está no topo da lista dos mais pagos, sendo que a pandemia se mostra como uma opção para “conseguir uma parte do dinheiro de volta”.

De acordo com o jornal britânico “Guardian”, Mauro afirmou que “os governos devem considerar impostos maiores em ganhos de propriedades, capitais e heranças”. “Uma opção específica seria uma contribuição de recuperação da Covid-19 — uma sobretaxa de imposto pessoal ou imposto de renda corporativo”, disse.

Bilionários que defendem mais impostos

Apenas um dia atrás, Jeff Bezos, homem mais rico do mundo e fundador da Amazon, afirmou ser a favor do aumento de imposto para os mais ricos, após o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pressionar para que as taxas corporativas aumentem de 21% para 28%.

“Reconhecemos que esse investimento exigirá concessões de todos os lados — tanto nas especificações do que está incluído quanto na forma como é pago (apoiamos um aumento na taxa de imposto corporativo)”, disse Bezos, em um comunicado. Em 2020, a Amazon pagou um total de 9,4% de alíquota de Imposto de Renda Federal, segundo o Instituto de Tributação e Política Econômica dos EUA.

Outro bilionário defensor do aumento dos impostos para os mais ricos é Bill Gates. Em janeiro do ano passado, antes da pandemia estourar na maioria dos países, o terceiro homem mais rico do mundo afirmou em seu blog oficial que “se você tem mais dinheiro, você deveria pagar uma porcentagem maior de impostos”. Para ele, essa seria a solução mais rápida para “acabar com a desigualdade social”. 

Desigualdades aumentam nas crises

Segundo o FMI, a desigualdade aumentou com a crise sanitária que o mundo enfrenta, e a melhor maneira de enfrentá-la é pedir para aqueles que têm mais poder capital que paguem mais impostos durante um tempo até que a situação se amenize.

Em entrevista recente ao CNN Brasil Business, William Eid Junior, diretor do Centro de Estudos em Finanças da Fundação Getulio Vargas (FGVcef), afirmou que “essa é a realidade dessa e de todas as outras crises vividas no mundo”.

“Os ricos costumam aproveitar as oportunidades. O rico tem dinheiro, tem caixa disponível, investimentos que estão em uma boa posição e, dessa forma, consegue ganhar mais capital. Quem tem dinheiro se aproveita da situação”, explicou. 

Via-CNN

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas