Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Filha de Rodrigo Duterte nega que irá concorrer à presidência das Filipinas

_________________Publicidade_________________

Sara Duterte Carpio, filha do presidente das Filipinas Rodrigo Duterte, disse na quinta-feira (09) que não irá concorrer à presidência nas eleições gerais do próximo ano, uma observação que pouco amorteceu a especulação de que ela está de olho no cargo.

Sara, de 43 anos, é prefeita da cidade de Davao e encabeçou todas as pesquisas de opinião deste ano sobre os candidatos preferidos para o cargo mais alto da nação e deu sinais mistos sobre a possibilidade de concorrer.

“Não vou concorrer a um cargo nacional, pois ambos concordamos que apenas um de nós concorrerá a um cargo nacional em 2022”, disse Duterte Carpio aos repórteres, referindo-se a seu pai.

Rodrigo Duterte está impedido pela constituição de buscar um segundo mandato, mas na quarta-feira ele aceitou a indicação de seu partido PDP-Laban para concorrer ao cargo de vice-presidente.

Seu interesse no possível novo cargo, que é em grande parte cerimonial, foi apontado pelos adversários como uma tentativa de permanecer no poder para evitar possíveis ações legais no país ou no exterior.

Mas Duterte, que sempre se retratou como um líder relutante, disse que sua decisão foi motivada pelo amor ao país.

“É realmente porque eu quero ver a continuidade de meus esforços mesmo que eu não seja o único a dar direção, talvez eu seja capaz de ajudar”, disse Duterte.

Vinganças políticas são comuns nas Filipinas e vários ex-líderes, que perderam sua imunidade parlamentar, foram processados e até mesmo presos após mudanças no poder.

Um promotor no Tribunal Penal Internacional em Haia está procurando investigar o líder sobre milhares de assassinatos em sua notória “guerra contra as drogas”.

Especialistas acreditam que Duterte poderia estar fazendo uma jogada para manter o poder, assumindo o cargo de presidente em um cenário de renúncia de seu sucessor.

Duterte havia instado o senador mais próximo do governo, Christopher “Bong” Go, a suceder-lhe, mas Go recusou a indicação presidencial do partido na quarta-feira, dizendo que seu “coração e mente estão focados em servir as pessoas”.

O partido PDP-Laban disse que quer que Go mude de ideia. “Sabemos que ele é competente e qualificado para concorrer”, disse Melvin Matibag, oficial sênior, a um briefing da mídia.

O analista político Temario Rivera disse que Duterte se sentiria seguro com sua filha no poder, apesar das diferenças e da expectativa de que ela governaria o país do seu próprio jeito.

“Duterte ainda estará de acordo com esse arranjo”, disse ele. “O sangue é mais espesso que a água”.

O analista político Edmund Tayao disse que muita coisa ainda pode mudar, mesmo depois do prazo final, no próximo mês, para apresentar a candidatura à corrida eleitoral.

“Nada é definitivo até a apresentação da candidatura e expiração do prazo para a substituição”, disse Tayao à Reuters.

No início da quarta-feira, o senador Panfilo Lacson, 73 anos, ex-chefe de polícia, foi o primeiro a declarar sua candidatura para as eleições presidenciais, concorrendo pela segunda vez depois de sua candidatura fracassada em 2004.

Via – CNN

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas