Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Filha de ganhador da Mega-Sena assassinado deve receber metade da herança, decide Justiça

Renê Senna foi morto em 2007 a mando da esposa, que disputa o direito ao dinheiro do ex-lavrador

_________________Publicidade_________________

Após 14 anos de disputa, a Justiça determinou que a filha de Renê Senna receba metade da fortuna do pai, cerca de R$ 43 milhões. O ex-lavrador foi assassinado em 2007, em Rio Bonito, Rio de Janeiro, a mando da esposa após ganhar na Mega-Sena. 

Conforme informações do jornal Extra, a decisão, do mês passado, determina que o valor pode ser depositado na conta da herdeira após o recolhimento de impostos pelo Estado. Será a primeira vez que a herança de Senna será movimentada desde o homicídio. O processo corre em segredo de Justiça. 

“VIÚVA DA MEGA SENA”

A briga pelo dinheiro teve fim no primeiro semestre deste ano, quando o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) negou o recurso de Adriana Ferreira Almeida, conhecida como “Viúva da Mega Sena”. Condenada a 20 anos de prisão por orquestrar o assassinato do marido, ela tinha o objetivo de validar o testamento que lhe dá metade fortuna. No entanto, o Judiciário considerou que o milionário foi manipulado pela companheira, que já tinha o plano de matá-lo. 

Então, o acórdão considerou o testamento anterior, que dava aos noves irmão de Senna o direito à outra metade dos seus bens. 

Ainda cabe recurso à Adriana, então ainda não é possível que os irmãos tenham acesso ao dinheiro. 

Renê Senna e Adriana Ferreira Almeida
Legenda: Justiça considerou que Adriana manipulou o marido para lhe dar metade da herança enquanto já planejava o assassinatoFoto: divulgação

O valor que a filha de Senna teve acesso, no entanto, ainda não corresponde ao total da herança. Um montante de R$ 14 milhões obtidos com as vendas da Fazenda Nossa Senhora da Conceição, em Rio Bonito, onde o ex-lavrador passou os últimos meses de vida, e das cabeças de gado dele.

Adriana tentou impedir que a filha do ex-lavrador tivesse direito a herança tentando a obrigar a realizar um novo exame de DNA, mas o desembargador Nagib Slaibi Filho negou o pedido.  

ASSASSINATO E TRAIÇÃO 

Renê Senna foi assassinado a tiros em 7 de janeiro de 2007, enquanto estava em um bar de Rio Bonito. Segundo a sentença, Adriana foi a mandante do crime, motivado pela retirada do nome dela do testamento. O ex-lavrador decidiu excluir a companheira da herança após descobrir estar sendo traído por ela. 

Em setembro deste ano, a Viúva da Mega Sena foi condenada definitivamente pelo assassinato, após esgotar todos os recursos possíveis. Ela já cumpriu quatro anos da pena, incluindo o período em que ficou presa preventivamente, antes da sentença.

Por Jornal Extra

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas