Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Família procura jovem de 18 anos que desapareceu após ir ao mercado em Rio Branco

Elionai da Silva Souza saiu para fazer compras para a avó por volta das 16 horas de sexta-feira (26) e depois disso teria ido na casa de uma amiga, mas, ao sair do local, não retornou mais.

Um jovem de 18 anos está sendo procurado pela família, após desaparecer em Rio Branco. Elionai da Silva Souza saiu para ir a um mercado, no bairro Cidade Nova, no segundo Distrito, na tarde de sexta-feira (26), e não voltou mais.

Uma das responsáveis pelo rapaz, a prima Daniela Fernandes, disse que ele saiu para fazer compras para a avó por volta das 16 horas e depois disso teria ido na casa de uma amiga, mas, ao sair da casa dela, desapareceu.

Daniela conta que quando ele demorou para chegar, a avó ligou, e ele disse que ia lanchar e voltaria. Só que depois foi na casa de uma amiga. Ao anoitecer e não voltar, a preocupação aumentou. Por volta das 20 horas, o rapaz já estava com o telefone sem sinal, a prima chegou a enviar mensagem e ele também não respondeu e a família saiu para procurá-lo.

“Ele nunca foi de chegar tarde, mas, a gente pensou que talvez fosse por causa das filas no mercado, e saímos por volta das 20h, mas não tinha muita fila, então, ligamos e já estava fora de área. Depois de um tempo, ele estava on-line, mandei mensagem, mas ele não respondeu”, contou Daniela.

Daniela disse que após deixar a casa da amiga, Souza teria mandado mensagem a ela como se tivesse se despedindo.

“Essa amiga contou que depois que saiu de lá, ele mandou mensagem para ela como se fosse de despedida, pedindo desculpa e outra amiga contou que ele mandou mensagem também como se não fosse mais falar com ela, não se despedindo diretamente, mas nesse tom”, acrescentou.

Preocupada, a família pede ajuda para que se alguém tiver visto o jovem entrar em contato. Os familiares foram até a delegacia e fizeram um boletim de ocorrência.

“A gente está aflito porque não sabemos para onde foi. Ninguém viu. Ele é muito caseiro, só saia de casa para ir à escola, ou nas vendinhas, muito calado, poucas amizades. E se ele tiver na casa de alguém, a gente pede que apareça, dê notícias, porque só queremos saber se está bem, nosso medo é de ter feito alguma besteira. A família está aflita”, concluiu.

Via: G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas