Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Ex-prefeita é ouvida em audiência pública na Câmara de Rio Branco sobre contrato de iluminação pública

_________________Publicidade_________________

Audiência Pública ocorreu nessa segunda-feira (31) por videoconferência e durou quase cinco horas. Vereadores, ex-prefeita da capital e gestores da atual gestão participaram do debate.

A ex-prefeita de Rio Branco e atual secretária Estadual de Educação, Socorro Neri foi ouvida em audiência pública nessa segunda-feira (31) pela Câmara de Vereadores da capital. Foram quase cinco horas de debate sobre o contrato de iluminação pública para instalação de lâmpadas de LED na cidade.

A audiência foi por videoconferência e transmitida pelos canais oficiais da Câmara. Além da ex-prefeita, participaram do debate os vereadores, o ex-secretário de Zeladoria, Kellyton Carvalho e o atual secretário, Joabe Lira. Também estiveram na audiência representantes de instituições ligadas à construção, energia e consumidores.

O projeto de iluminação pública, segundo o prefeito Tião Bocalom informou em abril deste ano durante avaliação dos 100 dias de gestão, está parado porque a equipe tem feito auditoria do contrato.

O requerimento da audiência pública, feito pela bancada do PDT, foi aprovado na terça-feira (25). Os parlamentares destacaram que, antes de assinar a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) era preciso ouvir os ex-gestores sobre a suspensão do contrato que ocorreu em dezembro de 2020, quando mais de R$ 22 milhões foram gastos, sob a justificativa de não haver tempo hábil para o pagamento da empresa.

Mais de 60% do projeto de instalação de iluminação de LED em Rio Branco foi executado, segundo Socorro Neri — Foto: Arquivo pessoal

Mais de 60% do projeto de instalação de iluminação de LED em Rio Branco foi executado, segundo Socorro Neri — Foto: Arquivo pessoal

Mais de 60% do projeto executado

Durante a audiência, a ex-prefeita explicou a necessidade do projeto, que teve uma operação de crédito total no valor de R$ 48 milhões, e afirmou que, em sua gestão, foi executado 62% do serviço contratado, no valor de R$ 22,5 milhões. O que, segundo ela, deixa um saldo de cerca de R$ 25,5 milhões para que a atual gestão possa dar continuidade à execução.

“Essa foi uma necessidade para enfrentar um colapso na iluminação pública de Rio Branco, já que a arrecadação era suficiente apenas para pagar a conta do consumo de energia, impossibilitando fazer manutenção e novos investimentos. Fizemos a execução até dia 20 de dezembro de 2020, totalizando 62% da execução prevista. E isso já totalizou uma economia da conta de energia de cerca de R$ 339 mil. Ao final da execução, Rio Branco deve ter uma economia de R$ 520 mil, aproximadamente”, disse.

A ex-gestora afirmou ainda que não há nenhum impedimento legal para a retomada da execução do contrato. Segundo ela, há uma tentativa de “criminalizar” a suspensão de contrato, mas a medida foi necessária e responsável em meio ao processo de transição de gestão.

“Essa medida foi de cuidado, necessária e não pode ser hoje criminalizada. Estávamos concluindo a gestão, em processo de transição, por isso suspendemos a realização do serviço a partir do dia 21 de dezembro. Não houve cancelamento, anulação ou encerramento de contrato, houve suspensão dos serviços. Havia necessidade de cumprir esses prazos para não deixarmos contas a pagar para a gestão seguinte”, afirmou.

O ex-secretário da Zeladoria, Kellyton Carvalho, falou sobre a situação crítica que se encontrava a iluminação pública em 2019 na capital acreana e afirmou que após os serviços executados houve uma redução de 33% do consumo total de energia para Rio Branco.

“A prefeitura estava desembolsando em torno de R$ 300 mil para segurar o pagamento da conta de energia e manutenção devida. Com esse projeto, foram instalados mais de 23 mil pontos de LED em Rio Branco, isso representou 62% de todo trabalho que tinha que ser executado. Das 3,5 mil ruas que tínhamos projetado, entramos em mais de 2,3 mil, eram mais de 20 equipes e o resultado financeiro foi espetacular”, explicou.

Retomar instalação

O atual secretário da Zeladoria, Joabe Lira, afirmou que o projeto vai ser retomado, mas destacou que ainda aguarda um parecer da Procuradoria Geral do Município acerca de possíveis irregularidades vistas pela atual gestão no contrato.

“Nossa intenção é concluir esse contrato, no entanto, nós esbarramos em alguns problemas, um deles foi a planilha, de 27 itens, 10 foram estourados, teve item que foi estourado mais de 300%. Então, estamos fazendo essa análise, que foi encaminhada também à PGM para que possa se chegar a uma solução para esse problema”.

Por G1 ACRE

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas