25 de maio de 2022   |   05:17  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

EUA: governo da Flórida sanciona fim de “status especial” da Disney

Antes da decisão, companhia operava na região de Orlando como um "órgão independente" do governo e livre de impostos.

_________________Publicidade_________________

O governador Ron DeSantis, da Flórida, nos Estados Unidos, sancionou, nesta sexta-feira (22/4), o projeto de lei aprovado pelos parlamentares do estado e que dissolve o regime especial de governo dos parques temáticos da Disney, localizados em Orlando. A decisão põe fim a uma intensa disputa entre a gigante empresarial e o republicano.

Um dos pontos pontos aprovados pelos parlamentares é o fim do status único concedido à Disney para que operasse como uma espécie de “órgão independente” do Executivo local. A empresa atua hoje como um distrito fiscal especial, sendo responsável por autogovernar uma região equivalente a 25 mil acres em Orlando.

Era através desse mecanismo legal que a Disney e demais proprietários de terra em Orlando obtinham isenção de impostos, desde que assumissem a gestão pública do espaço, tornando-se responsáveis pela manutenção de estradas, regulação de energia e água, além do combate aos incêndios na região.

Rota de colisão

Trata-se de uma importante vitória de DeSantis na verdadeira guerra travada com a empresa. O governador da Flórida, cotado para ser o nome do Partido Republicano à Casa Branca em 2024, entrou em rota de colisão com a Disney após a empresa se opor a uma lei que proibia a instrução em sala de aula sobre orientação sexual e identidade de gênero para alunos com menos de 9 anos.

O projeto de autoria do governador foi duramente criticado pelo CEO da Disney, Bob Chapek, na ocasião. A empresa chegou a ser alvo de protestos da comunidade LGBTQ pela inércia contra a derrubada das propostas do conservador.

Diante da pressão, a gigante norte-americana acenou com a interrupção de doações políticas ao estado, provocando a ira de parte mais conservadora do Parlamento.

Por Metrópoles

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS