Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Estudo descobre quando o paladar e o olfato voltam após ter Covid-19

Dificuldade de sentir sabores e odores podem perdurar até um ano ou persistirem sem data determinada; especialistas indicam como detectar o problema

_________________Publicidade_________________

Alisson Clark soube pela primeira vez que ela definitivamente tinha Covid-19 em setembro passado, quando perdeu o olfato.”Peguei uma xícara de café pela manhã e estava simplesmente gostoso”, disse Clark, que é estrategista de mídia nacional na Universidade da Flórida.”Eu me senti tão bem enquanto estava em quarentena que pensei que talvez fosse um falso positivo, mas então, quando aquilo aconteceu, pensei ‘OK, é real'”, disse Clark.

Alguns meses depois, ela estava lavando o cabelo com seu xampu perfumado favorito quando percebeu um odor incomum.”Lavanda é meu cheiro favorito, mas agora o xampu cheirava a enxofre e pólvora”, disse ela.

De repente, muitas coisas tinham um cheiro estranho ou distorcido. A carne vermelha tinha odor de “horrível, podre” e qualquer coisa com álcool tinha um cheiro “repugnante”.

“O pior é o sabonete para as mãos, porque está em todo lugar. Cheira a tequila barata e a presunto com notas de perfume de senhora”, disse Clark. “Ou o que eu acho que o cheiro poderia parecer”, acrescentou ela. “Não é um cheiro que eu já tenha sentido no mundo real, com certeza.”

Clark sofre de parosmia, uma distorção do olfato que ocorre quando as células receptoras do nariz não detectam e traduzem os odores para o cérebro de maneira adequada. Pode acontecer após um forte resfriado ou infecção sinusal, traumatismo craniano, convulsões e o uso de certos medicamentos.

A parosmia também foi associada a uma perda completa do olfato e do paladar, chamada anosmia, que se tornou um sinal característico de infecções leves a moderadas por Covid-19.

Seis meses após o diagnóstico de Covid-19, o olfato de Clark ainda está em recuperação.

“Posso detectar cheiros – mas simplesmente não consigo dizer o que são”, disse Clark. “Então, espero que essa parosmia seja o cérebro tentando disparar sinais de volta para começar a sentir cheiros novamente.”

Um ano para se recuperar

Um novo estudo, publicado nesta quinta-feira (25) no Jama 1network Open, pode dar a Clark alguma esperança.

O estudo acompanhou 97 pacientes com Covid-19 que haviam perdido o paladar e o olfato por até um ano. A cada quatro meses, todos os pacientes foram solicitados a dizer aos pesquisadores como eles sentiam que sua função olfativa estava se recuperando.

Dos participantes do estudo, 51 também foram submetidos a testes objetivos para verificar sua capacidade de sentir cheiros a cada intervalo de quatro meses.

“Aos oito meses, a avaliação olfativa objetiva confirmou a recuperação total em 49 dos 51 pacientes (96,1%),” escreveu a Dra. Marion Renaud, uma otorrinolaringologista dos Hospitais Universitários de Estrasburgo, na França, no estudo, junto a colegas.

Dos dois pacientes que não se recuperaram totalmente, um era capaz de sentir odores, mas de forma anormal, enquanto o outro não havia recuperado essa capacidade.

Uma descoberta adicional intrigante foi que muitas das pessoas que haviam recuperado a função olfativa avaliada por um teste objetivo de olfato continuaram a acreditar que seu paladar e olfato estavam reduzidos.

Dos 49 que foram testados como totalmente recuperados, apenas 23 disseram que sentiram que o olfato havia retornado totalmente.”Isso destaca a importância da aplicação de ambos os métodos para avaliação do distúrbio olfativo pós-viral”, escreveram os pesquisadores.

Um sinal precoce de Covid-19

O sintoma incomum de perda do olfato foi descoberto relativamente no início da pandemia. Estudos descobriram que a perda de cheiro pode ocorrer em 40% a 68% dos casos de Covid-19, na maioria das vezes aparecendo em casos leves a moderados, e atinge mais mulheres do que homens.

Embora resfriados e outras infecções tenham afetado o olfato, às vezes até de forma permanente, um estudo de agosto de 2020 descobriu que há uma diferença.

A capacidade de detectar sabores doces e amargos foi particularmente prejudicada em pacientes com Covid-19 quando comparada à deficiência em pacientes com resfriado comum.

“É particularmente interessante que a Covid-19 parece afetar particularmente os receptores de sabor doce e amargo, porque eles são conhecidos por desempenhar um papel importante na imunidade inata”, disse o autor do estudo Carl Philpott, professor de rinologia e olfatologia da Universidade de East Anglia Norwich Medical School, em um comunicado à imprensa na época.

Como verificar seu olfato em casa?

Sim, existem várias maneiras de testar com precisão seu olfato em casa, dizem os especialistas. Um é o teste com uma jujuba.”Você pega uma jujuba em uma das mãos e, com a outra, segura o nariz com força para não sentir nenhum fluxo de ar”, disse Steven Munger, diretor do Centro de Olfato e Sabor da Universidade da Flórida, à CNN em uma entrevista anterior.

“Você coloca a balinha na boca e mastiga. Digamos que seja uma bala com sabor de frutas: se você sentir o sabor mais a doçura da bala, saberá que está sentindo o gosto”, disse Munger.
“Então, enquanto ainda está mastigando, solte as narinas de repente. Se você tiver com o olfato funcionando, de repente sentirá todos os odores e dirá ‘Oh! Isso é uma goma de limão’ ou ‘Oh! É de cereja.’ É realmente uma resposta muito intensa, rápida, do tipo ‘Uau’ “, explicou ele.

“Se você puder ir do doce e azedo ao sabor completo e souber qual é o sabor”, disse Munger, “então seu olfato provavelmente está em muito bom estado.”

O nome científico desse processo é olfato retro nasal, em que os odores fluem da parte posterior da boca para a faringe nasal e para a cavidade nasal. Mas e se você não tiver uma jujuba?

Você também pode usar outros alimentos, disse o especialista em olfato, nariz e garganta, Dr. Erich Voigt, diretor da divisão de otorrinolaringologia do sono da NYU Langone Health.

“O verdadeiro sentido do olfato se dá se você puder sentir o cheiro de uma substância específica que não estimula outros nervos”, disse Voigt. “Alguns exemplos se dão quando você puder sentir o cheiro do café sendo moído ou preparado, ou se você puder sentir o cheiro de alguém descascando uma laranja. Esse é o sentido do olfato.”

Mas é preciso ter cuidado, porque é fácil pensar que você está usando o olfato quando não está, disse Voigt.”Por exemplo, amônia ou soluções de limpeza, estimulam o nervo trigêmeo, que é um nervo irritante”, disse ele. “E então as pessoas vão pensar, ‘Oh, eu posso sentir o cheiro do Clorox, eu posso sentir o cheiro da amônia, o que significa que eu posso sentir odores.’ Mas não, isso não é verdade. Eles não estão realmente sentindo odores, eles estão usando o nervo trigêmeo. “

Ainda não tem certeza se está entendendo direito? Verifique na Internet os testes de scratch e sniff com base médica.

Se você estiver sentindo perda de olfato, tome cuidado porque existem perigos, como não ser capaz de sentir o cheiro de um vazamento de gás, nem sentir cheiro de leite estragado ou de comida estragada.

Via-CNN

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas