Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Estudante de medicina é suspeito de estuprar sete crianças em Teresina; polícia investiga

_________________Publicidade_________________

A Polícia Civil do Piauí investiga um estudante de medicina de 22 anos suspeito de estupro de vulnerável contra pelo menos sete crianças em Teresina. O rapaz é enteado da mãe de uma das vítimas. Segundo a denúncia, ele abusou também de uma sobrinha da madrasta.

“Perguntei para minha sobrinha e ela disse que ele havia estuprado ela e minha filha. Começamos a investigar e descobrimos que ele abusou de pelo menos cinco outras crianças”, afirmou a mãe da menina.

A mulher contou ao g1 que o comportamento da filha dava indícios de que ela havia sofrido abuso e, após ser questionada, a menina disse que uma prima sabia o que havia acontecido.

Ela disse que descobriu os abusos em setembro e procurou a Delegacia de Proteção aos Direitos da Criança e do Adolescente (DPCA). O caso está sob sigilo e o g1 não divulgou as identidades dos envolvidos para preservar as vítimas.

Os abusos

Delegacia de Proteção A Criança e ao Adolescente (DPCA) em Teresina — Foto: Lucas Marreiros / G1

Delegacia de Proteção A Criança e ao Adolescente (DPCA) em Teresina — Foto: Lucas Marreiros / G1

De acordo com a mãe, o estudante entrou para a família quando a irmã dela se casou com o pai dele. Na época, ele tinha 8 anos.

“Somos uma família muito unida, fazemos tudo juntos e logo acolhemos ele como sendo da família também”, disse.

Atualmente, a filha dela tem 12 anos e o primeiro abuso aconteceu quando ela tinha cinco anos e o suspeito 15.

“Foi em uma viagem em família, que ele se trancou com ela no quarto do hotel. Desde os seis anos ela faz tratamento psicológico”, relatou.

A mulher disse ainda que os abusos só pararam há cerca de dois anos, quando o rapaz se mudou para Manaus, onde cursa Medicina em uma faculdade particular. Ela afirmou que ao descobrir sobre o abuso da vítimas mais novas decidiu denunciar os crimes nas redes sociais.

“Não consegui me conter, disse: ‘a gente tem que fazer alguma coisa, ele está vivendo a vida dele normal’. Ele estava indo para a faculdade, sem sofrer nenhuma penalização. As pessoas também precisavam saber quem ele é, que ele é um monstro que roubou a inocência de várias crianças”, declarou.

A família das vítimas espera que o suspeito seja preso.

“A gente quer a prisão preventiva, porque a gente teme que ele fuja. Ele tem condições financeiras, visto para os Estados Unidos e a mãe dele morou muitos anos em Portugal”, afirmou.

Conversa sobre abusos

A família das vítimas divulgou um print de uma conversa com o suspeito no WhatsApp onde ele admite um dos abusos e pede perdão à família.

Mensagem enviada pelo suspeito à mãe de uma das vítimas — Foto: Reprodução

Mensagem enviada pelo suspeito à mãe de uma das vítimas — Foto: Reprodução

“[Vítima] disse que desde a viagem do Uruguai que você mexe com ela. Muito triste, ela só tinha 5 anos de idade. Ela hoje em dia cheia de problemas, depressão, etc, tomando remédios fortíssimos, em grande parte devido a isso. Lamentável”, escreveu a madrasta dele.

Em seguida, o estudante respondeu: “Essa foi uma parte escura da minha vida que me envergonha muito e que eu nunca queria voltar. Não existe nada que justifique o que aconteceu, nada que me exima. Só posso pedir perdão para você e para toda a família que sempre me acolheu muito bem”.

O estudante também colocou uma mensagem numa rede social, dizendo que não está foragido.

Mensagem do estudante de medicina após divulgação da denúncia de supostos abusos — Foto: Reprodução rede social

Mensagem do estudante de medicina após divulgação da denúncia de supostos abusos — Foto: Reprodução rede social

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas