3 de julho de 2022   |   15:08  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Estado do Acre completa 60 anos de emancipação política nesta quarta-feira (15)

A origem do nome Acre, deriva de Aquiri, palavra que vem da língua do povo Apurinã, e significa Rio dos Jacarés.

_________________Publicidade_________________

Redação Juruá Online

Nesta quarta-feira (15) de junho, o Acre inteira 60 anos de emancipação política, data em que é celebrado o aniversário do estado desde que foi oficialmente reconhecido como território federal brasileiro.

O Acre é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Possui 22 municípios e população estimada em 906.876 mil habitantes. Localizado no sudoeste da Região Norte e fazendo divisa com os estados do Amazonas ao norte, e Rondônia a leste, e fronteira com dois países, Bolívia a sudeste e Peru ao sul e a oeste.

A origem do nome Acre, deriva de Aquiri, palavra que vem da língua do povo Apurinã, e significa Rio dos Jacarés.

Durante o período da Revolução Acreana, em 1899 e 1900, governo de Luís Galvez, foi criado à bandeira do Acre. Originalmente, representava os tratados de limites, tinha a diagonal invertida do que se conhece nos dias de hoje, então, depois do tratado de Petrópolis, a diagonal ficou descendo da esquerda para a direita.

Até a segunda metade do século XIX, o Acre era habitado pelas populações indígenas e ainda fazia parte dos territórios boliviano e peruano. A partir de 1877, motivados pela exploração do látex, os primeiros migrantes da Região Nordeste do país chegaram ao território acreano. Entre 1899 e 1909, disputas pelo domínio da área foram travadas entre os bolivianos, peruanos e os brasileiros que ali estavam.

Em 1890, um oficial boliviano, José Manuel Pando, alertou seu governo para o fato de que na bacia hidrográfica do Juruá havia mais de 300 seringais, com a ocupação dos brasileiros implantando-se cada vez mais rapidamente em solo da Bolívia, o que deu início a disputa territorial.

No ano de 1902, seringueiros brasileiros, tendo como líder o gaúcho José plácido de Castro, ocuparam a região de Xapuri e Puerto Alonso, e proclamaram a independência do estado.

A partir disso, uma disputa mais acirrada entre Brasil e Bolívia se iniciou, visando uma nova definição de limites entre os dois países. À época, o Barão de Rio Branco estava no lugar de Ministro das Relações Exteriores e passou a estudar a questão do Acre.

Em 17 de novembro de 1903, o governo brasileiro negociou a anexação das terras do Acre ao Brasil, através do tratado de Petrópolis, o que o tornou em território federal. Já no ano de 1904, junto com a criação do território federal do Acre, foram criados os departamentos: Alto Acre, Alto Purus e Alto Juruá. Cada um desses departamentos era governado por um prefeito departamental, nomeado pela presidência da República.

O conflito com os peruanos, por sua vez, chegou ao fim apenas em 15 de junho de 1962, quando o Acre foi elevado à categoria de estado, pelo o então presidente da República, João Goulard, ficando assim esta data, como aniversário de emancipação do estado.

Durante muito tempo, a economia do estado baseou-se no extrativismo vegetal, isto é, a exploração da borracha, que foi responsável pelo povoamento da região. Atualmente, o Acre apresenta dois grandes pólos econômicos: o vale do rio Juruá, que tem a cidade de Cruzeiro do Sul como principal núcleo urbano; e o vale do rio Acre, que é mais industrializado, possui maior grau de mecanização e modernização no campo, apresenta maior potencial nas atividades agrícolas, grande produtor de borracha e alimentos (mandioca, arroz, milho, frutas, etc.), além de abrigar a capital estadual, Rio Branco.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS