Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Enquanto ostentava luxo nas redes, MC Kevin acumulava dívidas com banco, clínica médica e companhia de energia elétrica

_________________Publicidade_________________

Nas redes sociais, o cantor Kevin Nascimento Bueno, o MC Kevin, exibia fotos em uma casa confortável de um condomínio em Mogi das Cruzes, na Região Metropolitana de São Paulo, onde morava com a família.

Nas 190 publicações do seu perfil do Instagram, muitas das imagens também expõem joias, roupas de grifes importadas, carros e motos de luxo e viagens para destinos badalados dentro e fora do Brasil.

Consultas a serviços de proteção ao crédito, no entanto, apontam que o funkeiro, morto ao cair da varanda de um hotel do Rio, no dia 16, acumulava dívidas:

Além de um financiamento bancário, o jovem possuía três pendências com a Enel, a companhia de energia elétrica de São Paulo, e ainda um processo judicial de uma clínica médica por sua mãe ter emitido um cheque sem fundos.

O empréstimo com o banco foi contraído em 22 de março deste ano, no valor de R$ 122.731,00.

De acordo com dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), o único veículo que consta no nome de Kevin é um Land Rover Evoke azul, fabricado em 2017, cujo valor de mercado gira em torno de R$ 170 mil.

Em uma postagem em junho do ano passado, o rapaz aparece gravando um clipe com o carro. “Aguardem Miami blue, tô coletando pela city”, ele escreveu.

Kevin exibia luxos nas redes sociais
Kevin exibia luxos nas redes sociais Foto: Instagram / Reprodução

Já os inadimplementos de Kevin com a Enel são de três datas: 29 de dezembro de 2018 e 2 de janeiro e 18 de março do ano seguinte, e somam R$ 497.

Em fevereiro de 2019, houve ainda um protesto, na cidade de São Paulo, contra o nome do funkeiro.

Nesse período, ele já morava no condomínio de casas Ano Park Arua.

O lugar, que conta com residências de alto padrão avaliadas acima de R$ 1 milhão, tem seguranças 24 horas, academia e quadras esportivas.

Outra pendência financeira era cobrada do artista na Justiça pela GRB Clínica Médica Ltda através de um processo na 9ª Vara Cível do Foro Regional I — Santana.

A ação, ao qual O EXTRA teve acesso, mostra que a empresa recebeu um cheque sem fundos no valor de R$ 8 mil da mãe de Kevin, Valquíria Nascimento, em 20 de julho do ano passado, de uma conta conjunta cujo titular era o rapaz.

A dona de casa passou por gastroplastia — procedimento menos invasivo do que a cirurgia bariátrica, indicado para portadores de obesidade.

Joias e relógio de ouro, acessórios usados por Kevin, foram representados em desenho
Joias e relógio de ouro, acessórios usados por Kevin, foram representados em desenho Foto: Instagram / Reprodução

Alertada pela secretária da clínica sobre o débito, Valquíria chegou a afirmar que iria parcelar o valor, mas depois não mais atendeu aos contatos.

Em nota, os médicos afirmaram, através das advogadas Fabiana Aparecida Nascimento Gama e Nathalia Nicolosi Proença, que, a fim de manter o “sigilo ético-profissional” da relação médico-paciente”, se reservam ao direito de não expor os fatos mencionados no processo.

Na época da cirurgia, Kevin publicou fotos onde aparece com roupas e tênis de grife no Rio e em São Paulo.

Em uma caricatura, são exaltados os cordões, brincos, anéis e relógio de ouro do funkeiro, que coloca na legenda:

“Só joia”. Em uma postagem do dia 28 de junho, ele joga um uísque importado no chão e escreve: “Essa cota vai para o santo”.

Kevin morreu na noite do último dia 16, logo após dar entrada no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

Ele foi levado para a unidade de saúde por bombeiros do Grupamento de Busca e Salvamento da Barra da Tijuca, que o socorreram após uma queda da varanda da suíte 502 de um hotel na orla do bairro.

Na ocasião, ele estava no quarto com o amigo Victor Elias Fontenele e a modelo Bianca Domingues e teria tentado passar para o quarto de baixo por receio de que sua mulher, a advogada Deolane Bezerra, chegasse ao local.

A conclusão da perícia do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) mostrou que a queda “teve como causa aparente um acidente”, pois não havia no apartamento indícios de briga.

O laudo de necropsia do Instituto Médico Legal (IML) mostrou que o corpo de Kevin sofreu 13 fraturas, do nariz, maxilar, mandíbula e costelas, além de hemorragia na cabeça, perfuração no pulmão e rompimento do fígado. A causa da morte é descrita como traumatismo crânio encefálico.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas