Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Empresário que passou mais de 70 dias internado recebe alta, fala da luta contra Covid-19 e da saudade que sentiu da família

Amilton Batista Brito, de 57 anos, foi internado no dia 26 de janeiro e recebeu alta nessa quarta (7) da semi-intensiva da Fundhacre. Ele foi continua o tratamento em casa, onde foi montado um quarto hospitalar para ele receber a medicação e os profissionais de saúde.

_________________Publicidade_________________

Após mais de 70 dias internado com Covid-19, o empresário e servidor público Amilton Batista Brito, de 57 anos, finalmente recebeu alto do hospital e agora vai continuar o tratamento contra a doença em casa. Ele saiu da Fundação Hospitalar do Acre (Fundhacre), onde estava internado, nessa quarta-feira (7). Para que ele pudesse continuar o tratamento foi preciso montar um quarto com alguns equipamentos hospitalares na sua residência.

É que o empresário ainda toma soro, remédios e usa a traqueostomia, que vai ser retirada nesse sábado (10). Brito conta ainda com ajuda de um enfermeiro, um médico, fonoaudiólogo e do filho, Júnior Brito, que é fisioterapeuta.

No dia da alta médica, o empresário gravou um áudio, mesmo com voz ainda cansada, para agradecer a família, amigos e conhecidos que torceram pela sua recuperação.

“Estou passando para primeiramente agradecer a Deus e, em segundo lugar, sou um felizardo, estou sendo ajudado pelo meu filho, e por excelente médico da fundação. Isso tem me ajudando muito, e com certeza por esse caminho vamos vencer. Agradeço demais”, disse, emocionado.

Brito foi internado para tratar a Covid-19 no dia 26 de janeiro no Pronto Socorro de Rio Branco. Lá, o servidor público passou 45 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). No dia 16 de março,  ele foi transferido para semi-intensiva da Fundação Hospitalar do Acre (Fundhacre).

Quando foi contaminado pela Covid, o empresário pesava 137 dias e perdeu mais de 25 quilos durante a internação. Além disso, ele é diabético.

Amilton Brito com os filhos antes da internação por Covid-19 — Foto: Arquivo da família

Amilton Brito com os filhos antes da internação por Covid-19 — Foto: Arquivo da família

Tratamento em casa

Para receber o pai, Júnior Brito explicou que colocaram uma cama hospitalar no quando, suporte para alimentação e soro. O empresário ainda não tem forças para ficar em pé e trata uma escara na pele devido ter ficar muito tempo deitado.

“Está tendo acompanhamento em casa, ainda faz uso de alguns medicamentos, está dando continuidade ao tratamento em casa. Não depende mais de oxigênio, conversa, se emocionou muito ao ver meu irmão. Foram mais de 70 dias longe de casa, já estava isolado dois a três dias antes de se internar, não estava vendo meu irmão”, relatou o filho.

Júnior disse que o pai segue evoluindo bem ao tratamento e, segundo os médicos, ele não deve ficar com graves sequelas. O empresário já come alimentos sólidos, conversa, toma líquidos em um canudo e faz terapia duas vezes por dia.

“Ele é um felizardo, a gente sabe que as estatísticas mostram que pelo tempo de internação dele normalmente os pacientes morrem. Ele conseguiu sair, perdeu mais de 25 quilos, é um paciente que tinha 137 quilos, obeso, diabético. Vai ter a vida normal, provavelmente não vai ter sequela. Ele não tem nenhum problema neurológico, a fala dele está preservada, fala muito bem”, comemorou.

A primeira pessoa que Brito queria ver ao sair do hospital era o filho de 12 anos. A segunda coisa era saber como estava a política no estado e o seu trabalho. Ele chorou ao saber da morte de alguns amigos. “Ainda está se atualizando de tudo, começou a perguntar sobre tudo, perdeu alguns amigos e se emocionou quando eu contei”, frisou.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas