Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Em inauguração de ponte, Bolsonaro crítica isolamento social e diz que Brasil não pode parar

Os ataques terroristas em propriedades rurais do Estado de Rondônia também foram alvo do discurso do presidente

_________________Publicidade_________________

Durante a inauguração da ponte do Abunã nesta sexta-feira (7), o presidente Jair Bolsonar disse que o governo federal nunca esqueceu da obra mais importante da história dos dois Estados, Acre e Rondônia.

Na ocasião, o presidente cumprimentou a população presente, as autoridades e os construtores da ponte, que também participaram do evento.

“Não existe alegria melhor do que estar no meio do povo. Vocês estão comigo e eu estou com vocês. O governo jamais esqueceu dessa obra tão importante e histórica para os dois Estados”, comentou.

“Agradeço de coração os ministros, deputados, senadores, governadores e prefeitos aqui presentes. A vitória é de todos nós. Boas pessoas aparecem para que as más sumam do destino desse país”, continuou.

Ao parabenizar os técnicos e construtores da obra, que não pararam durante a pandemia, Bolsonaro criticou as medidas de isolamento social adotas nos Estados para o combate ao coronavírus.

“Vocês que construíram essa ponte não pararam durante a pandemia. Meus parabéns a vocês. Lamentamos as mortes durante a pandemia, mas não podemos parar. O Brasil não pode parar. Vocês têm que de decidir [referindo-se aos gestores]. Não podemos ficar em casa. Defendemos a liberdade, que está prevista na Constituição. Não admitiremos quem queira jogar fora das quatro linhas da constituição. As pessoas precisam trabalhar e ter o sustento de cada dia”, salientou.

O chefe do executivo federal acrescentou que a ponte possibilita um crescimento econômico considerável para os dois Estados. Ao apontar para as balsas que ainda transportavam veículos de uma margem para outra do rio, ele acrescentou que as empresas já fizeram o que podiam.

“Precisávamos seguir, continuar crescendo. Essas balsas já trabalharam o tempo que era possível trabalhar. Elas lucram cerca de R$ 100 mil por dia com os atravessamentos. Agora temos liberdade e crescimento econômico. Os preços dos produtos vão baixar e o tempo de viagem vai diminuir”, destacou.

Os ataques terroristas em propriedades rurais do Estado de Rondônia também foram alvo do discurso do presidente, noticiados nos últimos dias pela imprensa. De acordo com ele, os crimes vão acabar.

“Não tem espaço aqui pra grupos terroristas. Tudo tem seu prazo de validade. Já deu”, finalizou.

Via-Contilnet

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas