Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Em carta, família de médico brasileiro investigado por assédio sexual no Egito faz pedido de desculpas em inglês e árabe

_________________Publicidade_________________

Documento é assinado pelos pais, irmãos e a esposa de Victor Sorrentino, que está detido no Egito desde 30 de maio. O Ministério Público egípcio apura o caso, e o Itamaraty acompanha. Em um vídeo, que viralizou nas redes sociais, o médico faz uma piada de conotação sexual para a vendedora de uma loja.

A família do médico de Porto Alegre Victor Sorrentino, detido, em 30 de maio, no Cairo, capital do Egito, após o vídeo em que faz perguntas com conotações sexuais a uma vendedora viralizar na internet, divulgou, na manhã desta quinta-feira (3) uma carta em inglês e árabe em que pede desculpas pelo que aconteceu.

“Nós, Família Victor Sorrentino e em nome de Victor apresentamos um pedido oficial de desculpas à vítima, sua família e todos os que tocaram no assunto. A todo o querido povo egípcio e todos os funcionários do Estado do Egito. Nossos mais sinceros sentimentos e empenho na reparação de todos os danos materiais e morais. Solicitamos o recebimento de nossas desculpas”.

Assinam o documento os pais de Victor, Migel e Maria Cristina Laindes Sorrentino, os irmãos Guilherme, Patricia e Daniela Sorrentino e a esposa Kamila Monteiro. (Leia abaixo)

Em carta, família de médico brasileiro investigado por assédio sexual no Egito faz pedido de desculpas em inglês e árabe — Foto: Divulgação

Em carta, família de médico brasileiro investigado por assédio sexual no Egito faz pedido de desculpas em inglês e árabe — Foto: Divulgação

O caso aconteceu no dia 24 de maio quando ele foi a uma loja onde são vendidos papiros usados para a escrita. Sorrentino é investigado por assédio sexual, segundo o Ministério Público egípcio.

O brasileiro está detido em prédio público do governo local. Segundo o órgão, no dia 1º de junho, a detenção seria prorrogada por mais quatro dias. A acusação afirma que o médico expôs a “vítima a insinuações sexuais e insinuações com palavras, a sua transgressão aos princípios da família e valores da sociedade egípcia, sua violação da santidade da vida privada da vítima e seu uso de sua conta online privada para cometer esses crimes”.

A família Sorrentino chegou ao Egito na quarta (3), segundo amigos do médico que estão no país. A defesa de Victor está a cargo da advogada Amanda Bernardes. Ela explica que uma equipe jurídica já foi disponibilizada no Egito e que o passaporte de seu cliente já foi devolvido. Familiares do médico afirmam que ele está prestando esclarecimento às autoridades egípcias.

Por G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas