10 de agosto de 2022   |   12:14  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Dono de fábrica de água envasada incendiada no AC calcula prejuízo de R$ 500 mil e diz que ação foi criminosa

Empresário conta que local foi arrombado por criminosos em tentativa de roubo, mas, como não encontraram dinheiro, tocaram fogo no escritório e chamas se alastraram.

_________________Publicidade_________________

O incêndio de grandes proporções que atingiu a sede da fábrica de água envasada, Verágua, na terça-feira (28), causou um prejuízo de cerca de R$ 500 mil. É o que calcula o empresário Valdemar Neto, que acredita que a ação foi criminosa.

O local, que fica na Estrada Triunfo, em Senador Guiomard, no interior do Acre, tinha muito material inflamável, o que dificultou o trabalho da equipe do Corpo de Bombeiros. Os militares precisaram de dois caminhões para o combate às chamas, onde foram usados mais de 12 mil litros de água. Uma área de cerca de 24 por 8 metros ficou totalmente destruída.

Chamas atingiram sede da Verágua na noite dessa terça-feira (28) em Senador Guiomard — Foto: Arquivo/Corpo de Bombeiros
Chamas atingiram sede da Verágua na noite dessa terça-feira (28) em Senador Guiomard — Foto: Arquivo/Corpo de Bombeiros

Ele contou ainda que local foi arrombado por criminosos em uma tentativa de roubo, mas como não encontraram dinheiro, tocaram fogo no escritório e chamas se alastraram. O empresário informou ainda que denunciou o caso à polícia. A equipe entrou em contato com o delegado da cidade, mas ainda aguarda resposta.

“Houve um arrombamento, entraram na minha sala, reviraram tudo e não acharam dinheiro, porque não tinha. Foram no outro escritório, onde fica a sala das secretárias, quebraram o vidro, mexeram em tudo também e viram que não tinha dinheiro. Então, tocaram fogo no escritório, mas tomou uma proporção muito grande, porque tinha muito PVC, além da telha que é aquela plástica, reciclável, e aí pegou em toda extensão da fábrica. Ainda não batemos o martelo, mas estamos calculando um prejuízo de R$ 500 mil, falando em estoque, estrutura, queimou cinco salas, ficou tudo no chão”, disse o empresário.

Neto disse ainda que emprega mais de 60 pessoas que reclamou da falta de segurança. “Agora é levantar a cabeça e trabalhar novamente, já que nosso Acre está desse jeito, a gente não consegue trabalhar, não consegue ter segurança, é complicado. Pegou fogo em tudo, no escritório onde estavam as câmeras, fizeram de maldade e tomou uma proporção monstruosa e ninguém viu nada.”

Por conta das condições que ficaram o local atingido, os bombeiros orientaram o proprietário que seja feita a demolição da área, devido aos riscos.

Com informações G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS