Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Dois são presos e adolescente apreendido suspeitos de matar idoso com tiro nas costas em Rio Branco

Valmir Procópio, de 67 anos, voltava de distribuidora com um amigo quando foi baleado nas costas e morreu no PS de Rio Branco. Um adolescente também ficou ferido na ação. Mandados de prisão contra suspeitos foram cumpridos nessa terça-feira (6).

Em menos de dois meses, a polícia conseguiu chegar aos suspeitos de envolvimento na  morte do aposentado Valmir Procópio, de 67 anos. Dois homens, de 25 e 18 anos, foram presos e um adolescente de 16 anos apreendido. Os mandados de prisão preventiva foram cumpridos nessa terça-feira (6).

O idoso foi morto com um tiro nas costas no último dia 12 de fevereiro na Rua Baixa Verde, bairro Cidade Nova, em Rio Branco, próximo a uma parada de ônibus. Um adolescente de 17 anos, que seria filho de um amigo do aposentado, também foi baleado na ação.

A vítima ainda foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) com vida, mas morreu no Pronto Socorro horas depois.

Após o crime, agentes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) iniciaram as investigações e, ao chegar até os supostos autores, o delegado Leonardo Ribeiro pediu a prisão preventiva deles.

Conforme a polícia, um dos suspeitos já estava no presídio por outro crime e o outro foi levado ainda na tarde de terça para a unidade prisional. Já o adolescente foi encaminhado para a delegacia do menor e colocado à disposição da Justiça.

Voltava para casa quando foi baleado

Familiares de Procópio contaram que o idoso estava em uma distribuidora do bairro com o amigo e o adolescente. O trio se separou e o aposentado seguiu para casa com o pai do menor. Já o adolescente ficou em uma parada de ônibus.

Os parentes não souberam informar se as duas vítimas foram baleadas pelas mesmas pessoas. O pai do adolescente não ficou ferido.

“Ele estava voltando para casa. Não estava mais na rua da distribuidora, estava na rua de casa e passaram atirando. O pai ia com o pai do adolescente, que estava sozinho na parada de ônibus”, explicou Rafael Procópio, filho do idoso.

O jovem disse que foi informado que os suspeitos estavam a pé quando atiraram e saíram correndo. “Não eram criminosos, era amigo do meu pai. Eles estavam trabalhando, pai e filho, e meu pai estava na distribuidora”, declarou.

‘Quero justiça’

Abalada e muito revoltada, a mulher do aposentado, Maria de Nazaré Dias Procópio, disse que o marido era um pai de família e trabalhador e não tinha envolvimento com crimes. O casal estava junto há 34 anos.

“Quero justiça, tiraram a vida dele do nada. Esse Acre é terra de ninguém, sem lei. Quero justiça, só isso”, disse entre lágrimas.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas