Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Diocese de Rio Branco suspende missas presenciais durante a semana e finais de semana, após decreto do governo

_________________Publicidade_________________

Governo tinha liberado funcionamento das igrejas aos finais de semana, mesmo com decreto de fechamento de todos os serviços considerados não essenciais, mas, após polêmica, voltou atrás e proibiu. Eventos religioso estão liberados em dias uteis da semana com 20% da capacidade.

A Diocese de Rio Branco anunciou nova medida para combater a Covid-19, após as restrições publicadas pelo governo do estado. A decisão tomada foi a suspensão das missas presenciais em todas as paróquias e comunidades, a partir deste sábado (13), tanto durante a semana, como nos finais de semana.

Em uma carta, assinada pelo bispo Dom Joaquín Pertiñez direcionada às paróquias e comunidades, a Diocese informa que a medida foi aprovada pelo Conselho Presbiteral em reunião nessa quinta (11).

Conforme o documento, os templos podem permanecer abertos durante o dia para oração pessoal, confissão, aconselhamento, ou qualquer outro tipo de culto de forma individual.

“Devemos reafirmar nosso testemunho em favor da vida, como já fizemos desde que começou a pandemia na nossa realidade diocesana. Cada paróquia pode celebrar a eucaristia de forma on-line, com o menor número de pessoas presentes, para sua comunidade paroquial, evitando, assim, o distanciamento e a falta de comunicação com seus fiéis”, declarou o bispo.

Decreto governamental

A decisão de suspensão das missas presenciais foi tomada depois que o governo publicou decreto que estabelece medidas mais restritivas contra a pandemia da Covid-19 aos finais de semana, feriados e pontos facultativos e também altera funcionamento dos estabelecimentos durante os dias uteis da semana.

Essas medidas mais restritivas, com fechamento do comércio e outros serviços considerados não essenciais aos finais de semana e feriados, iam começar a valer no último dia 6 de março, mas o governo decidiu adiar para o próximo dia 13, por conta do feriado de segunda-feira (8).

Entre as medidas, foi anunciada anteriormente uma um tanto contraditória: a liberação do funcionamento das igrejas nos fins de semana e feriados, com 20% da capacidade. A decisão foi alvo de críticas da população e do Ministério Público que considerou a medida “incoerente”. Com a polêmica, o governo informou que o entendimento era de que as igrejas contribuem de forma social e emocional no período de pandemia.

No entanto, na quarta-feira (10), o governo voltou atrás e proibiu a abertura das igrejas aos finais de semana e feriados e pontos facultativos. Mas, os eventos religiosos, segundo o decreto, continuam podendo ocorrer nos dias uteis da semana, mesmo com o estado em bandeira vermelha, de emergência, com 20% da capacidade de público.

Mesmo podendo funcionar em dias uteis da semana, a igreja Católica decidiu pela suspensão das celebrações eucarísticas presenciais em todos os dias da semana.

Missas online

Ainda no documento, o bispo informou que a TV-Diocese, assim como as redes sociais, vai continuar transmitindo diariamente a Santa Missa para todos os fiéis.

“Entre todos devemos tomar consciência do momento crítico que estamos vivendo, dando também nosso testemunho, e oferecendo nosso sacrifício em favor de tantas pessoas que estão sofrendo as consequências da irresponsabilidade de outros. Que esta Quaresma nos faça mais sensíveis ao sofrimento do nosso próximo, e mais conscientes da nossa corresponsabilidade com a vida de todos. E que nosso sacrifício seja em benefício de uma vida plena para todos”, disse o bispo.

A suspensão das missas presenciais, segundo a Diocese, é válida até novo decreto do governo que mude o cenário.

Via: G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas