Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Dia do Maçom: Maçonaria de Cruzeiro do Sul faz homenagens a membros históricos e atuais

_________________Publicidade_________________

No último dia 20 de agosto comemorou-se no Brasil mais um dia dos maçons. No mês de agosto do ano de 1822, os maçons do Rio de Janeiro, através da Loja Maçônica Comércio e Artes, do Grande Oriente do Brasil, foram decisivos na fomentação da campanha pela libertação da então Colônia, ante o jugo da Coroa Portuguesa. Notadamente, dois maçons influenciaram com os ideais de liberdade e independência o então príncipe Regente Pedro de Alcântara, que também, foi iniciado nos mistérios da Maçonaria na citada Loja Maçônica carioca, tendo chegado a Grão-Mestre do GOB.

Foram os célebres José Bonifácio – patriarca da independência e Gonçalves Ledo – arquiteto da independência que conduziram efetivamente a campanha e o processo de emancipação pátria.
Assim, o 20 de agosto foi escolhido como o dia Nacional dos maçons, em reconhecimento ao esforço e heroísmo daqueles homens que lutaram pela independência da maior nação da América Latina, o Brasil.


Em Cruzeiro do Sul, cidade onde a Maçonaria existe há quase 115 anos, através da primeira Loja, a Fraternidade Acreana, fundada por Craveiro Costa e outros 12 cavalheiros, em 1907, a instituição sempre foi muito participativa na comunidade local, com relevantes feitos em prol do engradecimento do município.

Assim, não podemos esquecer e deixar de prestar homenagem aos grandes vultos históricos e homens de destaque de nossa sociedade que pertenceram a essa Sublime Ordem, tais como: Craveiro Costa, Thaumaturgo de Azevedo, Rêgo Barros, Flodoardo Cabral, Borges de Aquino, Thomé Rodrigues, Absolom Moreira, Alfredo Sales, Joaquim Generoso, Mancio Lima, Lourival Castanho, Rivaldo Paiva, Orsetti Valle, Joãozito, Maurício e Cláudio Nobre, Amarino Sales, Rubens Santiago, Dr. Arnaldo Cattebek, João Tota, Orleir Cameli, Rezene Lima, Eduardo Levy, Lírio Eduardo, Manuel Benvindo, Tito Lima, Manoel Neri, Manuel Barahuna “manduca”, José Muniz, Renato Lebre, Waldenor Jardim “nôca”, Silvio Viga, Adauto Batista, Ildefonso Cordeiro, Zinho Santos, Eleonizio Teles, Raimundo Ciacci “dim”, Epaminondas Magalhães e Aleid Il Ramid Neto, dentre tantos outros, in memoriam, as boas recordações e aos que ainda estão aqui, nesta terra, as nossas felicitações e desejo de contínuo progresso no seio da Maçonaria.

Por: Narcelio Flávio Generoso
Grau 33
Venerável Mestre
Delegado Litúrgico do Rito Escocês Antigo e Aceito no Vale do Juruá e
Escritor do livro “A Saga da Fraternidade” – ano publicação: 2019. Editora Nossa Gráfica-Rio Branco-Acre

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas