7 de agosto de 2022   |   23:40  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Deracre prevê R$ 12 milhões para aeródromos em Rio Branco, Sena Madureira e Brasiléia

Aprovada nesta quarta-feira (13) pela Assembleia Legislativa do Acre, a Lei de Diretrizes Orçam3entárias (LDO) traz nove eixos de investimentos prioritários para 2023, sendo que o agronegócio encabeça a lista.

_________________Publicidade_________________

Aprovada nesta quarta-feira (13) pela Assembleia Legislativa do Acre, a Lei de Diretrizes Orçam3entárias (LDO) traz nove eixos de investimentos prioritários para 2023, sendo que o agronegócio encabeça a lista. Além do agro, prometido como motor do desenvolvimento ainda na primeira campanha de Gladson Cameli para governador, estão a segurança pública, saúde, educação, cultura e esporte, assistência social e direitos humanos, infraestrutura, meio ambiente e produção florestal, gestão pública, e desenvolvimento, indústria, ciência e tecnologia.

Algumas previsões de investimentos chamam a atenção, como a construção de três aeródromos em Sena Madureira, Rio Branco e Brasiléia, obras que demandarão recursos de R$12 milhões.

O presidente do Deracre, Petrônio Antunes, explicou a reportagem que há uma demanda muito grande pelo atendimento aéreo em Brasiléia e Sena Madureira ao mesmo tempo em que os custos dos serviços aeroportuários em Rio Branco são crescentes. Além disso, a frota de aeronaves do Estado aumentou e necessita de mais infraestrutura.

A preocupação do gestor é com a questão de saúde, o resgate aéreo. “Salvando uma vida vale todos os investimentos”, disse, lembrando que a pandemia potencializou a demanda por infraestrutura aérea no Acre.

A citação na LDO é apenas uma previsão. Até a concretização, o projeto tem percorrido vários caminhos.

Rotas Aéreas – Deputados e moradores cobram a retomada do programa de subsídio de passagem aérea em municípios isolados, como Jordão, Santa Rosa do Purus e outros. O Deracre passou a considerar a volta desse auxílio.

O presidente do Deracre está encomendando um estudo à Procuradoria Geral do Estado para analisar a viabilidade jurídica do programa, que era realizado por outro órgão que já não existe mais na estrutura administrativa do governo.

Além disso, a PGE deverá dizer se é possível realizar um programa dessa natureza neste período eleitoral.

Com Informações Ac24Horas

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS