Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

CPI inclui mais dez nomes entre os pedidos de indiciamento no relatório final

São 78 pedidos de indiciamento, sendo duas empresas, segundo revelou à CNN o vice-presidente da Comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

_________________Publicidade_________________

O vice-presidente da CPI da Pandemia, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou, na segunda-feira (25), em entrevista à CNN, sobre a inclusão de mais dez nomes entre os pedidos de indiciamento que constam no relatório final do senador Renan Calheiros (MDB-AL). Até o momento são 76 pessoas e duas empresas.

As motivações dos novos pedidos, segundo Randolfe, foram pela negociação da vacina Covaxin, da vacina da Davati e pela disseminação de fake news. Foram citados os nomes do coronel Helcio Bruno e do reverendo Amilton Gomes.

“Temos mais dez, totalizando 76 pedidos de indiciamento, com duas empresas, que também foram indiciadas e constavam na primeira versão do relatório. Temos 78 pedidos de indiciamento”, afirmou Randolfe.

“Esses dez que foram inclusos foi o núcleo do Ministério da Saúde para a aquisição da vacina da Precisa/Covaxin, foram inclusos mais agentes disseminadores de fake news, que é o caso do coronel Helcio Bruno, do reverendo Hamilton, não só como disseminador de fake news, mas também em virtude da tentativa de venda de uma vacina que não existia ao Ministério da Saúde, ao caso da vacina da Davati. É o conjunto de novos indiciados inclusos”, continuou.

O texto do senador Eduardo Braga (MDB-AM), que pede o indiciamento do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), segundo Randolfe será acatado. Entretanto, o pedido de indiciamento não deve acontecer. Ele justificou a medida citando o artigo 1º da Constituição Federal e o artigo 147 do regimento interno do Senado Federal.

“O artigo 147 do regimento interno do Senado estabelece o seguinte: é vedado Comissão Parlamentar de Inquérito sob assuntos pertinentes a Câmara dos Deputados, pertinentes também aos governos estaduais. A explicitamente uma vedação nesse sentido no regimento do Senado. Não deve ter o indiciamento, mas o conteúdo apresentado pelo senador Eduardo vai ser recebido. Isso já foi acordado entre nós, e estamos conversando com o senador Eduardo para pacificar a ocorrência dos sete votos favoráveis a aprovação do relatório.”

Fake News

O vice-presidente da CPI também confirmou a inclusão da fala do presidente da República, Jair Bolsonaro, que citou, em uma transmissão ao vivo, uma falsa relação entre a vacina contra a Covid-19 e o desenvolvimento do vírus da HIV.

“Será comunicado no relatório a prática reiterada de crime pelo presidente da República – no caso, o encaminhamento de notícias falsas em relação ao enfrentamento da pandemia”, afirmou Randolfe.

“Sobre esse fato especificamente, terá um requerimento que nós iremos apresentar na abertura da CPI amanhã, para que seja aprovado um pedido cautelar ao Supremo Tribunal Federal (STF) com as seguintes petições: primeiro, que o presidente se retrate, sob pena de multa diária de R$ 50 mil. Subsidiário a isso, que o presidente seja banido ou suspenso das redes sociais”, disse.

Ainda segundo o vice-presidente da Comissão, o encaminhamento será feito ao ministro Alexandre de Moraes, que dirige o inquérito das fake news no STF.

Via – CNN

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas