Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

CPI do Transporte Coletivo obtém 9 assinaturas e deve ser instalada em Rio Branco

_________________Publicidade_________________

A vereadora Michelle Melo (PDT), protocolou nesta quinta-feira, 19, na Câmara de Rio Branco, o pedido de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte Coletivo da capital.

Eram necessárias seis assinaturas para abertura da CPI, mas a vereadora conseguiu nove assinaturas. Assinaram abertura da CPI os vereadores: Emerson Jarude (MDB) Adailton Cruz (PSB), Ismael Machado (PSDB), Fábio Araújo (PDT), Lene Petecão (PSD), Joaquim Florêncio (PDT), Francisco Piaba (DEM), Hildegard Pascoal (PSL) e Michelle Melo (PDT).

Com a inércia do prefeito Tião Bocalom, o objetivo é finalmente abrir a tão propalada “caixa-preta” do transporte coletivo. A vereadora destacou que a abertura da CPI ocorre em razão das situações dos trabalhadores e da população da capital.

“Hoje é um dia de comemoração para a população de Rio Branco. Nesta CPI, iremos investigar todas as denúncias e esclarecer de uma vez por todas o que acontece com o transporte público de Rio Branco”, afirmou.

Em entrevista na terça-feira, 17, ao ac24horas, o motorista de ônibus, Mauricelio Freire, afirmou que os trabalhadores das empresas Floresta, São Judas Tadeu e Via Verde, vêm sendo comunicados que terão que procurar novos empregos a partir de setembro. Segundo informações, mais de 200 trabalhadores do transporte coletivo de Rio Branco estão temendo uma demissão em massa a partir do dia 1 de setembro

A justificativa, segundo as empresas, é que com a frota de ônibus da capital reduzida, não têm como manter o pagamento da folha com a baixíssima arrecadação.

Via – Ac 24 Horas

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas