Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Covid-19: um ano marcado por ampliação em hospitais, leitos e recursos humanos na saúde

Construído pelo governo estadual, o Hospital de Campanha de Cruzeiro do Sul recebeu investimentos de R$ 4,1 milhões, oriundos de recursos específicos do Ministério da Saúde no combate ao coronavírus.

O ano de 2020 foi atípico pela pandemia da Covid-19. Há exatamente um ano, no dia 17 de março, o governo do Acre iniciava o enfrentamento ao desafio de combater um vírus, até então desconhecido, que, à espreita, preparava-se para mudar radicalmente a vida de todos e sobrecarregar o sistema de saúde de diversos países no mundo.

Governo concentra esforços para salvar vidas desde o início da pandemia no Acre. Foto: Junior Aguiar.

Apesar dos desafios do cenário pandêmico, no Acre, 2020 ficou também marcado como um período em que a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) ampliou a capacidade de atendimento em diversos municípios, criando novos leitos e, especialmente, aumentando o número de unidades de terapia intensiva (UTIs), investimento decisivo para salvar vidas.

Saúde passou de 10 leitos de UTI no Acre para 106 em um ano. Foto Júnior Aguiar/Secom.

Construído em tempo recorde, logo após os primeiros contágios do novo coronavírus no estado, era inaugurado pelo governador Gladson Cameli, no dia 15 de junho, o primeiro hospital de campanha do Acre, um centro de tratamento para pacientes infectados pelo coronavírus, anexo ao Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into), onde também foram instalados 50 leitos de UTI-Covid. Na época, a saúde contabilizava 9.771 casos confirmados da doença.

Hospital de campanha, anexo ao Into conta com cem leitos clínicos para tratamento da Covid-19. Foto Júnior Aguiar/Secom.

Em pouco mais de um mês, também foi erguido outro grande hospital de campanha no Acre, que ficará como legado para a população do Juruá quando a pandemia passar. A estrutura de 1,4 mil metros quadrados foi e está sendo um importante reforço para a rede pública de saúde no tratamento de pacientes com Covid-19. Ao todo, são 26 leitos de terapia intensiva disponíveis naquela regional.

Governador durante visita à obra do hospital de campanha, no Juruá. Unidade foi entregue no 10 de julho de 2020. Foto Onofre de Brito.

Construído pelo governo estadual, o Hospital de Campanha de Cruzeiro do Sul recebeu investimentos de R$ 4,1 milhões, oriundos de recursos específicos do Ministério da Saúde no combate ao coronavírus. Também foram anunciados investimentos na ordem de R$ 172 milhões para o Vale do Juruá.

Além desse investimento, o governador Gladson Cameli injetou mais de R$ 2 milhões na reforma e ampliação do Hospital Dr. Abel Pinheiro, em Mâncio Lima. Com a obra concluída, mais de 50 mil juruaenses serão contemplados com a ampliação da capacidade de atendimento da rede hospitalar da região. Obras de ampliação e reforma que também alcançam a unidade mista de saúde de Acrelândia, em um investimento de R$ 2,1 milhões.

Oxigênio é vida

O Acre não corre risco de insuficiência do principal insumo utilizado em pacientes acometidos mais gravemente pela Covid-19. Além de estarem devidamente providas, as principais unidades de saúde do Estado contam com sistemas de geradores de gases autônomos, ou seja, o oxigênio é gerado na própria unidade.

Usinas de oxigênio no Vale do Juruá. Foto: Marcos Santos.

Somente no Into, foram instaladas quatro usinas de oxigênio com capacidade de produzir 75 mil metros cúbicos mensalmente. A Sesacre já está em processo de contratação para aumentar a produção mensal de oxigênio em Brasileia, e, em Rio Branco, na UPA do Segundo Distrito, Fundação Hospitalar e, principalmente, no Complexo Into, para que a produção chegue a cem mil metros cúbicos mensais.

Para atender a demanda das unidades públicas hospitalares que não possuem usinas de oxigênio, a Sesacre envia regularmente cilindros de oxigênio conforme a avaliação da demanda repassada pela gerência.

As unidades hospitalares que não possuem usinas são abastecidas com oxigênio comprimido em cilindros. Foto Odair Leal/Secom.

“Nossas principais unidades hospitalares possuem usinas de produção de oxigênio, e também dispomos de cilindros que são utilizados para o transporte de pacientes e enviados para as demais unidades. E, graças ao empenho do nosso governador, estamos devidamente abastecidos”, enfatiza o secretário de Saúde, Alysson Bestene.

Na visão de Bestene, 2020 foi um ano de muitos desafios, mas também um ano de muitas ações, engajamentos, coragem e solidariedade.

Foto Júnior Aguiar/Secom.
Foto Júnior Aguiar/Secom.
Foto Júnior Aguiar/Secom.
Foto Júnior Aguiar/Secom.

“Foi e continua sendo um grande desafio para a Saúde, ao mesmo tempo que se revela um período de solidariedade e empatia, em que todos os dias vejo o engajamento e a dedicação do governador Gladson Cameli, dos profissionais que estão na ponta, das equipes que atuam nos bastidores da Saúde, buscando fazer o melhor, independente do desafio imposto. A pandemia avançou no estado, mas não foi por falta de ações e investimentos na saúde. Continuamos trabalhando de forma enérgica para garantir melhor assistência à população. Qualquer pessoa que se furtar a enxergar e reconhecer isso estará cometendo uma injustiça”, observa o secretário.

Ampliação de leitos

No balanço de ações do governo no enfrentamento à Covid-19, foram criados 96 leitos de UTI adulto no Sistema Único de Saúde (SUS), o que representou um aumento de 960% da capacidade no Estado, que passou a contar com um número total de 106 leitos.

Acre conta com 106 vagas de UTI, 50 são concentradas no Into. Foto Júnior Aguiar/Secom.

O governo reforma, atualmente, o antigo prédio onde funcionava o Batalhão de Operações Especiais (Bope), em Rio Branco. O local será uma extensão do hospital de campanha, para atender pacientes afetados pela Covid-19, com a implantação de 21 leitos clínicos, com suporte de 11 cadeiras para o pronto atendimento.

Expectativa é de que o Estado possa abrir na unidade, totalmente reformada, mais 21 leitos de enfermaria. Foto: Jean Lopes/Seinfra.

Uma ala do Hospital do Idoso, anexa à Fundação Hospital do Acre (Fundhacre), foi transformada, temporariamente, em unidade de tratamento a pacientes infectados pelo coronavírus, com disponibilidade de 40 leitos clínicos. No mesmo local, a Sesacre instalou uma usina de oxigênio com capacidade de produzir 16 mil metros cúbicos mensalmente, somando-se a usina já existente na Fundação Hospitalar, cuja média mensal é de 27 mil metros cúbicos.

Diante da taxa de ocupação de leitos sobrecarregada no Sistema Único de Saúde, o Estado segue agora trabalhando, com apoio do governo federal, com a transferência de pacientes para outras localidades onde há disponibilidade de leitos para tratamento da Covid-19.

Vacina

Os incessantes esforços do governador Gladson Cameli, sempre colocando a vida em primeiro lugar, fez com que o Acre recebesse a vacina contra a Covid-19 para imunizar a população acreana dentro do prazo estabelecido pelo gestor.  Até o momento, o estado recebeu 90.380 doses do imunizante e aguarda a chegada de um novo lote nesta quarta-feira,17, com mais 11.220 doses.

Foto Júnior Aguiar/Secom.
Foto Júnior Aguiar/Secom.
Foto Júnior Aguiar/Secom.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas