17 de maio de 2022   |   18:45  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Corpos de crianças que morreram carbonizadas no Acre serrão exumados

A exumação foi autorizada pela Justiça após pedido feito em outubro de 2021 pela Polícia Civil

_________________Publicidade_________________

As crianças Caio e Diogo Evangelista Monteiro, de 2 e 4 anos, que morreram carbonizadas no dia 19 de dezembro de 2020, no bairro Portal da Amazônia, em Rio Branco, terão seus corpos exumados para coleta de novas amostras biológicas.  O corpo da criança de oito meses, que morreu junto com os irmãos, será o único a não ser exumado.

A exumação foi autorizada pela Justiça após pedido feito em outubro de 2021 pela Polícia Civil, porque as análises de DNA feitas nos restos mortais (dentes de leite) de Caio e Diogo não revelaram a presença de DNA para estabelecer vínculo genético com o material fornecido pela mãe deles, Jociane Evangelista. e o Instituto de Análises Forenses ainda consultou o Instituto Médico Legal, pediu novas amostras.

A tragédia ocorreu na Rua Cumaru, no bairro Portal da Amazônia, em Rio Branco. Os três irmãos morreram carbonizados dentro de casa depois que a mãe saiu para um bar e os deixou trancados com cadeado, dentro do imóvel. As vítimas foram o pequeno Caio Evangelista Monteiro, de 2 anos, Diogo Evangelista Monteiro, de 4 anos e a bebê Vitoria Sofia, de oito meses. A mãe, Jociane Evangelista Monteiro, foi presa e levada para a Delegacia de Flagrantes. Ela foi liberada após audiência de custódia e responde ao processo em liberdade.

Jociane foi denunciada pelo Ministério Público Estadual (MP-AC) pelo crime de abandono de incapaz com alguns agravantes, como o fato de ser mãe das vítimas. A denúncia foi aceita pela 4º Vara Criminal de Rio Branco no dia 21 de janeiro de 2021, quando o inquérito policial foi transformado em ação penal.

O incêndio que matou as crianças começou por um curto circuito em um ventilador, que ficou ligado para refrescar as crianças enquanto elas dormiam. O imóvel, em madeira, ficava atrás de uma casa, e o espaço media pouco mais de 12 metros quadrados. Por isso, foi totalmente consumido pelas chamas, quanto as crianças estavam trancadas e não conseguiram escapar.

Os vizinhos ainda tentaram socorrer as crianças ao ouvir os gritos, mas como a casa estava trancada com o cadeado, não foi possível retirar os três irmãos. O Corpo de Bombeiros foi acionado chegou no local em cerca de 4 minutos. No entanto, nada pode fazer para salvar as crianças. Apenas controlaram as chamas para não atingir as demais casas.

Com informações do Contilnet

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS