Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Como o Amazonas chegou ao primeiro dia sem mortes por Covid-19 após 1 ano e 3 meses

Estado não registrou nenhuma morte pela doença nesta terça-feira (6). Essa é a primeira vez desde o dia 31 de março de 2020.

_________________Publicidade_________________

O Amazonas não registrou mortes por Covid-19 nesta terça-feira (6). Essa é a primeira vez, desde o dia 31 de março de 2020, que o estado não tem óbitos em decorrência da doença. Infectologistas ouvidos pelo G1 falam que isso é reflexo da vacinação que avança no estado.

No Amazonas, segundo dados Consórcio de Veículos de Imprensa, 37,22% da população do estado receberam a primeira dose, o que representa 1.565.933 de pessoas, e outros 13,7% desse grupo receberam a segunda dose, ou seja, 576.572 pessoas.

G1 solicitou uma avaliação da Fundação de Vigilância em Saúde sobre o que pode ter colaborado para que não houvesse registro de mortes no estado e aguarda um posicionamento.

No entanto, apesar de o dado ser animador, os médicos reforçam que a pandemia ainda não acabou. Em Manaus, não são poucos os casos de desrespeito à lei que determina o uso de máscaras e o distanciamento social. Nas ruas, poucas pessoas fazem o uso correto desse equipamento de proteção e não é difícil encontrar quem use a máscara abaixo do queixo.

Em junho, o G1 já havia alertado para uma queda de mortes de idosos acima de 60 anos, por Covid-19, no Amazonas. Naquele levantamento, foi constatado uma redução de 78,90% entre os meses de março e maio. Na época, especialistas já falavam que a queda era um avanço da imunização no estado.

Pela primeira vez desde o início da pandemia, Amazonas não registra mortes por Covid-19 em 24 horas — Foto: Arte G1

Pela primeira vez desde o início da pandemia, Amazonas não registra mortes por Covid-19 em 24 horas — Foto: Arte G1

O presidente do Departamento Científico de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Renato Kfouri, afirma que esse primeiro dia sem mortes pela Covid é resultado da ampliação da cobertura vacinal no Amazonas. Ele também ressaltou que o estado é um dos que mais avançaram no processo de imunização.

“É impacto da vacinação. Na medida em que nós vamos avançando na vacinação, e o Amazonas é um dos estados que mais avançou, é possível comemorar esse tipo de fato. Você vai desviando a faixa etária da doença para públicos ainda não-vacinados, ou seja, mais jovens com risco menores de morrer, e com isso a tendência de hospitalizações e mortes tende a cair”.

O infectologista Marcos Guerra afirmou que mais de 80% do público acima de 60 anos já foi imunizado, e isso garante uma redução significativa de óbitos. Ao fato soma-se a ampliação da vacinação para outras faixas etárias.

“O Amazonas tem um número expressivo de pessoas imunizadas, tanto de forma natural, que são os infectados, assim como os vacinados, principalmente entre os grupos mais vulneráveis. Entre as diversas faixas etárias, acima de 60 anos, já se conseguiu vacinar com as duas doses mais de 80% dessas pessoas. Isso resulta numa menor circulação do vírus, tanto por reduzir o número de suscetíveis, assim como menor carga viral nos infectados, resultando na menor incidência de casos”.

Mas apesar do registro, Kfouri alertou para que a população mantenha os cuidados em relação à pandemia. Segundo ele, o número de casos continua alto em todo o país. Somente nessa terça-feira (6), no Amazonas, foram mais de 700 registros novos da doença.

“Estamos registrando 60 mil casos por dia, no Brasil. São muitos casos. Embora o desvio da faixa etária para os mais jovens diminua o risco de hospitalizações, ainda temos UTIs cheias, muitos casos, jovens que não morrem com tanta frequência, mas evoluem para formas mais graves. Então não é hora de baixar a guarda não”, ressaltou.

Doses extras de vacina

Após o colapso no sistema de saúde em janeiro, quando houve recordes de casos e mortes por Covid-19 no Amazonas, o estado recebeu doses extras de vacina. Os lotes adicionais foram enviados após um acordo entre governadores, que levaram em consideração a situação dramática no estado, que registrou falta de insumos como oxigênio.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas