Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Com seca do Rio Acre, Depasa utiliza bombas flutuantes para evitar desabastecimento de água na capital

_________________Publicidade_________________

Depasa instalou três conjuntos de bombas para manter a vazão de água e garantir o abastecimento em Rio Branco. Nessa terça (20), Rio Acre marcou 1,96 metro.

Com a capital acreana já enfrentando uma seca severa do Rio Acre, o Departamento de Água e Saneamento do Acre (Depasa) já utiliza bombas flutuantes para evitar o desabastecimento de água. Nessa terça-feira (20), o Rio Acre marcou 1,96 metro.

Sem chuvas, a Defesa Civil Municipal também se prepara para abastecer comunidades que dependem de poço artesiano com carros-pipa.

Em entrevista à Rede Amazônica Acre, o diretor de operacional do Depasa, Alan Ferraz, explicou que as bombas foram instaladas ao longo do ano para a utilização no período de seca. As equipes instalaram três conjuntos de motobomba, que jogam 990 litros para serem tratados.

“A medida que sempre fazemos é que nossa equipe sempre faz a manutenção preventiva na parte mecânica, elétrica e mantendo o equipamento no melhor possível do abastecimento”, frisou.

Depasa utiliza bomba flutuante para garantir abastecimento em Rio Branco — Foto: Ana Paula Xavier/Rede Amazônica Acre

Depasa utiliza bomba flutuante para garantir abastecimento em Rio Branco — Foto: Ana Paula Xavier/Rede Amazônica Acre

Ferraz falou também que mesmo com todos os cuidados, há o risco de a capital acreana ficar sem água.

“Nesse período não é fácil buscar água no rio, fica muito baixo, a dificuldade de trazer água é maior, os conjuntos motobomba precisam ser muito bons para manter essa vazão, mas acaba baixando essa vazão e pedimos que a população tente não desperdiçar água porque está difícil fazer a água chegar até o usuário nessa época”, reforçou.

O diretor falou também que o Depasa vai continuar usando bomba flutuante após o período de estiagem. Mesmo com o baixo nível, ele garante que a vazão está sendo mantida e o plano de distribuição segue normal.

“Essa bomba, na verdade, vamos deixar definitivamente. O que trabalhamos agora é com os inversores de frequência, que quando o rio vai subindo vamos mudando a rotação e forçando menos ela”, concluiu.

Por G1 AC

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas