Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Com baixo índice de vacinação contra Covid, Saúde faz mutirão em cidades no interior do Acre

Rio Branco e Cruzeiro do Sul estão com aplicação da primeira dose suspensa. Mutirão começou por Acrelândia. Por Jornal do Acre 2º E

O Acre recebeu 174.790 vacinas contra a Covid-19 até essa terça (13) e, mesmo assim, aparece entre os estados com menor índice de vacinação. Ao todo, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre), foram aplicadas 97.230 doses, sendo 78.986 referentes à primeira dose e 18.244 da segunda dose.

Para tentar avançar na cobertura vacinal contra Covid-19, o estado juntamente com todos os municípios iniciou, nesta quarta-feira (14) um mutirão. A primeira cidade a receber a equipe foi Acrelândia, a expectativa da Sesacre é aplicar 400 doses de vacinas contra a Covid-19 no município.

A campanha ocorre na forma de busca ativa nas casas e serão oferecidas vacinas de rotina, influenza e Covid-19, sendo que a de Covid é apenas para idosos acima de 60 anos.

O baixo índice de vacinação não reflete um cenário real no Acre, segundo a diretora do Departamento Estadual de Imunização, Renata Quilles, que diz que o atraso na digitalização dos dados acaba deixando esse índice defasado.

“O Ministério da Saúde se baseia em sistema, relatórios de sistemas e uma das grandes dificuldades para o estado do Acre tem sido justamente inserir as informações no sistema. Sabemos que cada município tem uma internet diferente, uma dificuldade em acessibilidade e as mesmas equipes que vão a campo vacinar, no retorno de suas atividades, ainda tem que ficar fazendo turno extra para digitalização das informações. Sabemos que zona rural, ribeirinha e indígena são vários dias dentro dessas áreas, temos áreas indígenas que demoram pelo menos 15 dias para que a equipe faça essa ação e no retorno ainda leva dias para colocar no sistema toda produção”, justifica.

Renata diz ainda que o único estoque no Acre são de 9.690 doses destinadas para a vacinação de comunidades indígenas que têm recusado a vacina. Ela negou ainda que a ação seja uma interferência do Estado, mas garantiu que é uma espécie de força-tarefa para ajudar na imunização.

“Nossa visita sempre acontece com o aval do secretário de saúde. Em nenhum momento o Estado está fazendo um processo de intervenção no município. Nós só faremos esse apoio ao município que nos quer lá”, finaliza.

Apesar do mutirão, as cidades de Rio Branco e Cruzeiro do sul não estão aplicando a primeira dose da vacina contra Covid porque não tem doses suficientes.

Deficit

Mais de 6 mil pessoas ainda não tomaram a segunda dose da vacina contra a Covid-19 no Acre. O dado é de um levantamento do Ministério da Saúde publicado nessa terça-feira (13). Em todo país, cerca de 1,5 milhão de pessoas estão aptas a tomar a última dose da imunização e devem comparecer às unidades de saúde.

No Acre, 6.191 pessoas devem tomar a segunda dose da CoronaVac, vacina produzida e distribuída pelo Instituto Butantan. O intervalo ideal é de 28 dias entre as doses da CoronaVac. Um estudo do Butantan mostrou que a eficácia da vacina foi de 62% com intervalo de 21 a 28 dias, contra 50% com intervalo de até 21 dias.

Já estudos clínicos da Oxford/AstraZeneca apontaram uma eficácia de 82,4% com a segunda dose, em um intervalo de três meses após a primeira dose.

Imunização incompleta

O infectologista Alan Areal explicou que a segunda dose da vacina é a mais importante. Segundo ele, muitas pessoas estão esquecendo de olhar a carteira e checar a data de retorno para concluir a imunização.

“Tem que tomar porque, na verdade, ela que confere a imunidade. As vacinas ainda estão em fase de estudo, mas o grande prejuízo é esse; é você tomar a primeira dose e deixar de tomar a segunda. Estamos vendo que no Brasil afora e aqui no Acre as pessoas não estão voltando para tomar” frisou.

O profissional destacou que sem a segunda dose a imunização fica incompleta. Ele aconselhou que as pessoas fiquem atentas e levem a sério o processo de vacinação. “Não é falta da segunda dose, temos a vacina, é porque as pessoas não estão voltando para tomar. Isso precisa ser reforçado, que as pessoas levem a sério isso”, concluiu.

Especialista alertou para improtância de tomar as duas doses da vacina contra a Covid-19 — Foto: Diego Gurgel/Secom

Especialista alertou para improtância de tomar as duas doses da vacina contra a Covid-19 — Foto: Diego Gurgel/Secom

Vacinação no Acre

Em Rio Branco, capital do Acre, a vacinação ocorre no drive-thru e em cinco unidades de saúde apenas para a aplicação da segunda dose. Por falta de doses, a Saúde Municipal suspendeu a aplicação da primeira doses em pessoas de 61 anos ou mais na terça-feira (13).

Essa é a quarta vez que o processo é suspenso por falta de doses. O secretário municipal de saúde, Frank Lima, afirmou que aguarda uma nova remessa de imunizante do Ministério da Saúde para retomar a vacinação.

Ainda segundo o governo federal, mesmo que tenha passado o prazo da aplicação da 2ª dose do imunizante, que é descrito na carteira de vacinação, o idoso deve procurar uma unidade de saúde e finalizar o processo de imunização contra a doença.

O Acre já recebeu 12º lotes de imunizantes contra a Covid-19. O último lote chegou no último dia 9 com 11.250 doses de vacinas, sendo 5 mil são da Coronavac, desenvolvida e distribuída pelo Instituto Butantan, e 6.250 são da Oxford-AstraZeneca.

Na terça (13), dados do boletim diário divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) mostou que o Acre confirmou nas últimas 24 horas mias 14 mortes, assim, o número de vítimas fatais pela doença subiu para 1.367. Em relação ao número de casos novos, foram 394. Os registros saltaram de 73.613 para 74.007.

Colaborou Andryo Amaral, da Rede Amazônica Acre.

G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas