18 de maio de 2022   |   14:46  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Coluna da Ritinha – Mulheres com deficiência e no esporte? Temos!

_________________Publicidade_________________

A cada ano, no mês em que se reflete sobre o Dia Internacional da Mulher várias vozes trabalham com mais veemência na desconstrução de tabus criados para todas as mulheres. E eu, como mulher com deficiência não fico atrás! Sendo assim, por tudo que já vivi e também com o que pude aprender, ao longo dos anos sobre inclusão de pessoas com deficiência resolvi marcar esse março de 2022 falando da mulher com deficiência no esporte.

Todos sabemos que, desde os primórdios dos tempos o gênero feminino em si era diminuído por grande parte da sociedade. Na verdade, hoje ainda é, mas por muito batermos na tecla conseguimos e a cada dia estamos conseguindo mudar essa questão. Entretanto, se para uma mulher sem deficiência já era e é assim imagina como deve ser para uma mulher com deficiência – que lida, muitas vezes com todas as descriminações possíveis e mais a descriminação por ter uma deficiência.

Mas, com muita garra e luta as mulheres com deficiência estão chegando a todos os espaços, inclusive o esportivo. Opa! Na realidade, paradesportivo – é assim que nos referimos aos esportes que são voltados para as PCDs (pessoas com deficiência). Contudo, no brasil, o ponto de partida de mais relevância da participação feminina no esporte paradesportivo está ligado à inauguração do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), no ano de 1995. E, desde então, só tem crescido e nos dado orgulho em todas as modalidades paralímpicas.

Por experiência própria, sei que praticar um esporte paralímpico vai muito além do significado de inclusão social, sabe? Para uma mulher com deficiência então, estar inserida e poder ser um pedaço da construção desse espaço é abrir portas para outros (as) sentirem mais autoestima e confiança nas diversas situações que se topam com a gente. Portanto, que o esporte paralímpico ganhe mais o poder e a força das mulheres com deficiência. Que elas se permitam aumentar a nossa representatividade quanto a isso para cada vez mais estarmos no pódio de vários significados.

Ritinha Andrade

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS

AS ÚLTIMAS

top 10 mais lidas