29 de junho de 2022   |   07:54  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Cirurgia é bem sucedida e sobrevivente de acidente com helicóptero volta a sentir movimentos nos membros inferiores

O mecânico de voo Jorge da Silva Figueiredo, de 63 anos, um dos sete sobreviventes do acidente envolvendo um helicóptero, no dia 8 de maio, em Cruzeiro do Sul, passou por uma cirurgia reparadora na coluna na última sexta-feira, 27

_________________Publicidade_________________

O mecânico de voo Jorge da Silva Figueiredo, de 63 anos, um dos sete sobreviventes do acidente envolvendo um helicóptero, no dia 8 de maio, em Cruzeiro do Sul, passou por uma cirurgia reparadora na coluna na última sexta-feira, 27. Com o sucesso da cirurgia, ele voltou a sentir os movimentos dos membros inferiores e está em observação em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A informação foi confirmada pela família de Jorge, que está na expectativa de transferi-lo para sua cidade natal, o Rio de Janeiro, dentro de uma semana. Passado o período de maior tensão e angústia, Daniele Figueiredo, filha de Jorge, diz que, agora, está satisfeita.

“Foi muito boa a cirurgia. Ele está sendo bem atendido e eu espero que seja um passo pra ele voltar pra casa. Tô bem satisfeita agora, depois de tudo o que aconteceu ele tá bem, já com os movimentos das pernas e pronto pra voltar pra casa”, destacou.

A cirugia ocorreu no Pronto-Socorro de Rio Branco – para reparar uma fratura traumática de coluna torácica T1 – onde ele está internado desde o dia 10 de maio, quando foi transferido do interior, devido ao seu delicado estado de saúde. Como apresentava também queimaduras de segundo grau de pequena a média extensão, ele precisava aguardar a cicatrização do ferimento, para então ser submetido à cirurgia na coluna.

Falha no motor

Resgate durou quase 24h devido à dificuldade de logística na zona onde o helicóptero pousou (Foto: Ascom/CBMAC)

Conforme relatório preliminar do Painel do Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Sipaer), a causa do acidente seria uma possível falha no motor do helicóptero.

Quando o acidente aconteceu, a equipe, que estava à serviço da Fundação Nacional do Índio (Funai) realizava o resgate de dois bebês indígenas que precisavam de atendimento médico. Ao todo, sete pessoas estavam na aeronave: os dois bebês gêmeos de 1 ano e 4 meses, seus pais, o piloto, um técnico de enfermagem e o mecânico, José Figueiredo.

Gazeta Acre

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS

AS ÚLTIMAS

top 10 mais lidas