Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Celular que carregava em tomada pega fogo e incendeia casa no DF, diz família; vídeo mostra estragos

_________________Publicidade_________________

Três cômodos de uma casa, na QE 26 do Guará II, no Distrito Federal, foram totalmente destruídos por um incêndio (veja estragos no vídeo acima). A suspeita é que as chamas tenham começado depois que um celular que carregava na tomada da sala pegou fogo. A Polícia Civil investiga.

O caso ocorreu no dia 31 de agosto. Cynthia Lima mora na casa com o marido e a filha de 12 anos. Ela conta que acordou de madrugada para beber água e viu o incêndio assim que abriu a porta do quarto. Apesar do susto, ninguém se feriu.

Cynthia afirma que, ao seguir em direção à sala, percebeu que o sofá pegava fogo. Segundo a moradora, as chamas saíam por uma tomada onde a filha tinha colocado um celular para carregar.

“A minha filha, de vez em quando, deita no sofá, porque é espaçoso, né? E ela nesse dia queria dormir. Eu falei: ‘Bota o celular pra carregar e nós vamos para o quarto'”, conta.

Cynthia diz que o celular era original, porém, o carregador havia sido comprado em um camelô. “Creio que ele esquentou, deu curto”, diz.
O aparelho e o carregador derreteram com o incêndio. Bombeiros estiveram no local e apagaram as chamas. Eletrodomésticos, computador, TV e documentos pessoais foram queimados. O telhado da sala também foi destruído pelas chamas.
Segundo Cynthia, os cômodos já passaram por perícia. A Defesa Civil descartou risco de desabamento e proibiu o uso da energia no andar de baixo, principalmente na cozinha, que foi atingida pela fumaça. Toda fiação deverá ser trocada.

Aquecimento


Anatel orienta a utilizar carregadores e baterias originais, compatíveis com o modelo do celular. — Foto: TV Globo / Reprodução
Anatel orienta a utilizar carregadores e baterias originais, compatíveis com o modelo do celular. — Foto: TV Globo / Reprodução
A utilização de carregadores não homologados ou não indicados pelo fabricante pode gerar sobretensão, ou seja, fornecimento à bateria de um valor de tensão elétrica superior ao que ela foi projetada para suportar. A sobretensão pode resultar em superaquecimento, fogo ou explosão.
Para evitar situações como esta, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) orienta a utilizar carregadores e baterias originais, compatíveis com o modelo do aparelho e homologados pela agência.
O engenheiro elétrico Abiezer Fernandes explica que o local onde o celular é colocado para carregar também pode oferecer riscos.

“Tecido, sofá, cama, debaixo de travesseiro. As baterias do celulares aquecem e essa temperatura chega em um ponto onde, encontrando uma superfície inflamável, no caso o tecido, a chama começa a se propagar”, alerta.



Dicas de segurança


Três cômodos de casa no Guará II, no DF, ficaram destruídos após incêndio que pode ter sido causado por aquecimento de celular. — Foto: TV Globo / Reprodução
Três cômodos de casa no Guará II, no DF, ficaram destruídos após incêndio que pode ter sido causado por aquecimento de celular. — Foto: TV Globo / Reprodução

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas