26 de maio de 2022   |   22:32  |  

booked.net

,

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Bombeiros suspendem buscas por homem que desapareceu ao cair em rio em Marechal Thaumaturgo após dois dias

_________________Publicidade_________________

O Corpo de Bombeiros suspendeu, nesse domingo (28), depois de dois dias, as buscas por Edivanio Menezes da Silva que desapareceu na madrugada de quinta-feira (25) ao cair no Rio Juruá, em Marechal Thaumaturgo, no interior do Acre.

“A equipe já está retornando e o corpo não foi localizado. Foram feitas buscas superficiais e mergulhos. Foi feito tudo que era possível fazer com as informações que tínhamos porque houve divergência nas informações de local”, disse o subcomandante dos Bombeiros em Cruzeiro do Sul, tenente Ocimar Farias.

O tenente disse que as equipes fizeram o retorno nesse domingo. E, caso seja solicitado pela Polícia Civil, eles podem retomar as buscas. “Se formos acionados pela polícia, a gente pode retornar, mas por enquanto está suspensa.”

O delegado de Marechal Thaumaturgo, Heverton Roberto Bandeira, disse que segue com as diligências, ouvindo familiares.

“Estamos fazendo a investigação. Consultando, ouvindo os familiares. Não [não tem confirmação de possível crime] porque ele é tido como desaparecido. A gente vai colher as diligências já feitas pelo delegado Rômulo”, disse.

Entenda o caso

O Corpo de Bombeiros iniciou as buscas na sexta-feira (26) e a informação repassada às equipes pelas pessoas que estavam com Silva é que ele caiu ao andar pela lateral da embarcação, que é de médio porte, e que desde então não foi mais visto.

Acontece que familiares de Silva estão suspeitando que, na verdade, ele teria sido vítima de um homicídio. E, segundo o comandante, as pessoas que estavam com ele no momento do sumiço começaram a repassar informações desencontradas sobre o local exato do suposto acidente.

“Inclusive eles [bombeiros] estão até na delegacia para tentar chegar a um consenso sobre o local exato da queda, porque o pessoal que estava com ele começou a distorcer as informações. Uma hora falaram que era em um local e depois que tinha sido em outro mais distante. Então, por enquanto, isso está dificultando as buscas, por não ter o local preciso. Nós acionamos a polícia porque, como quem estava com ele está com essas informações desencontradas, já começa a ter indícios de crime”, disse o comandante.

Ao g1, o delegado plantonista da cidade, Rômulo Carvalho, disse que foi aberto um procedimento investigatório para apurar se houve crime ou se foi um acidente.

“Estamos ouvindo as pessoas que estavam com ele, fazendo diligências para saber as circunstâncias dos fatos. Tudo está sendo levantado com calma e mais pra frente vamos ter tudo com mais clareza, mas há sim alguns indícios que apontam para existência de um crime, mas tudo ainda é muito preliminar”, afirmou o delegado.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS