18 de maio de 2022   |   17:33  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Biden liberará 1 milhão de barris de petróleo por dia para diminuir preço da gasolina

Segundo funcionário da Casa Branca, medida valerá para os próximos seis meses; anúncio oficial deve ser feito nesta quinta-feira (31)

_________________Publicidade_________________

O presidente Joe Biden anunciará, nesta quinta-feira (31) a liberação de um milhão de barris de petróleo por dia  da Reserva Estratégica de Petróleo dos Estados Unidos para os próximos seis meses, a maior liberação de todos os tempos, para tentar reduzir os preços da gasolina, disse a Casa Branca.

Como os preços da gasolina dispararam nos últimos meses, particularmente após a invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro, Biden também pedirá ajuda das petrolíferas dos EUA para perfurar mais e dar um impulso aos fabricantes de baterias de veículos elétricos.

Os barris começarão a fluir para o mercado a partir de maio, disse um alto funcionário do governo a repórteres.

Biden deve fazer o anúncio no evento às 14h30 (horário de Brasília) na Casa Branca.

“Após consultar aliados e parceiros, o presidente anunciará a maior liberação de reservas de petróleo da história, colocando um milhão de barris adicionais no mercado por dia em média – todos os dias – pelos próximos seis meses”, disse a Casa Branca.

A liberação “servirá como ponte até o final do ano, quando a produção doméstica aumentar”, disse.

Liberações adicionais de petróleo de aliados da Agência Internacional de Energia (IEA, em inglês) elevarão o volume total de petróleo dos estoques para os mercados globais para bem mais de 1 milhão de barris por dia, disse o funcionário.

A IEA, órgão de fiscalização de energia do mundo do qual os Estados Unidos são membros, também pode decidir liberar barris quando os países da IEA se reunirem na sexta- feira (1º).

A AIE de 31 membros, representando nações industrializadas, mas não a Rússia, presidiu a quarta liberação coordenada de petróleo em sua história em 1º de março de mais de 60 milhões de barris de petróleo – a maior até agora.

Os preços do petróleo LCOc1 CLc1 caíram cerca de 5% com as últimas notícias de retirada dos EUA, enquanto a OPEP+, um grupo de produção que inclui a Arábia Saudita e a Rússia, manteve um acordo modesto para aumentar lentamente a produção.

Biden também invocará a Lei de Produção de Defesa para apoiar a produção e processamento de minerais e materiais usados ​​em baterias de grande capacidade usadas em veículos elétricos — como lítio, níquel, cobalto, grafite e manganês, disse a Casa Branca.

Ele também pedirá ao Congresso que aprove seu plano para levar o país a políticas de energia limpa.

Use ou perca

A administração Biden há muito diz que as empresas de energia estão sentadas em milhares de concessões não utilizadas e demoram a abrir a torneira.

Biden pedirá uma política de “use ou perca” que tentará pressionar as empresas petrolíferas a tirar proveito das licenças de arrendamento de petróleo não utilizadas, disse um alto funcionário do governo a repórteres.

“Achamos que deve haver consequências se você estiver com licenças aprovadas não utilizadas para produção em terras federais”, disse o funcionário. A política cobraria das empresas se elas estiverem sentadas em poços e não desenvolverem as concessões, disse o funcionário.

As empresas petrolíferas disseram que gostam de ter um inventário profundo de licenças para lhes dar flexibilidade no planejamento futuro e que as restrições trabalhistas e logísticas podem ser um obstáculo para usá-las.

via-CNN

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS