Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Barbary nega que estava com mulher e delegado inicia investigação sobre sequestro

Barbary nega que houvesse uma mulher com ele na hora do assalto. Ele conta que da casa dele levaram entre R$ 6 e R$ 7 mil e da casa e do veículo de Pedroza levaram R$ 15 mil. Relatos apontavam que havia uma mulher na casa que não foi identificada.

_________________Publicidade_________________

Enquanto a polícia apura o caso de assalto e sequestro, o ex-prefeito de Porto Walter, Zezinho Barbary afirmou que ainda não foi ouvido pelo delegado e diz que até agora só foi ouvido por agentes da Polícia Civil e polícias militares do próprio município.

Barbary relata que ele e Cleber Pedroza voltavam, cada um em seu próprio veículo, quando os policiais civis e militares os encontraram depois que foram liberados pelos criminosos no Rio Juruá Mirim.

Barbary nega que houvesse uma mulher com ele na hora do assalto. Ele conta que da casa dele levaram entre R$ 6 e R$ 7 mil e da casa e do veículo de Pedroza levaram R$ 15 mil. Relatos apontavam que havia uma mulher na casa que não foi identificada.

A ação começou na noite desta quarta-feira, 27, na casa de Barbary e teve continuidade nesta quinta,28, na casa de Pedroza, quando terminou com os 2 libertados pelos assaltantes na região do Rio Juruá Mirim. “Na minha casa entraram uns 6 a 8 homens e no Rio Juruá Mirim tinha mais 2. Eles não nos bateram nem amarraram, mas o terror foi grande”, relata.

O delegado Venicius Almeida, coordenador da Polícia Civil no Vale do Juruá, está em Porto Walter para liderar as buscas aos criminosos e iniciar a investigação do assalto seguido de sequestro.

Por Sandra Assunção

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas