14 de agosto de 2022   |   10:40  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Atração na Expo: Abacaxis gigantes chamam atenção durante a feira

O produtor rural José da Silva, mais conhecido como Nico do abacaxi, produz frutas há 16 anos, e os abacaxis são os maiores destaques. Ele levou alguns dos grandes frutos para expor na feira agropecuária e tem chamado atenção dos participantes.

_________________Publicidade_________________

Já pensou em comer um abacaxi que chega a pesar até 15 quilos? Isso é possível. Em uma das feiras do Parque de Exposições Wildy Viana, onde ocorre a Expoacre, em Rio Branco, há vários tipos dessa fruta de diversos tamanhos e pesos. Elas são produzidas em Tarauacá, interior do Acre, conhecida como a terra do abacaxi gigante.

O produtor rural José da Silva, mais conhecido como Nico do abacaxi, produz frutas há 16 anos, e os abacaxis são os maiores destaques. Ele levou alguns dos grandes frutos para expor na feira agropecuária e tem chamado atenção dos participantes.

“Cheguei a ver [abacaxi] de 18 quilos, de 16 quilos. Inventei de plantar porque era muito bonita a fruta, mas só que só tirei de 14 [quilos] para baixo”, confessou.

Ele afirma que chegou a possuir 12 mil abacaxizeiros, mas, por causa das despesas, diminuiu a produção pela metade. O plantio é feito a partir das mudas, que saem na parte superior do fruto, conhecidas como “coroas”. Elas são colocadas no chão e levam pouco mais de um ano para que se desenvolvam totalmente.

“Mas, a base que venho plantando é de 1,2 mil a 1,5 mil pés todos os anos porque se não plantar vai desfalcando o plantio. Todo ano tem que fazer esse plantio. Posso plantar mil pés, 500 ou só 600, mas não pode deixar faltar. A gente planta três metros de largura e um de espaço de um pé pro outro porque dão as espadas muito grandes porque fica o pé muito bonito e tem que ter esse espaço”, orientou.

Peculiaridades que favorecem o crescimento

A qualidade de abacaxi produzida por José da Silva se chama ananás e tem uma coloração mais escura em comparação a outros tipos da fruta. Segundo o técnico da Empresa de Assistência Técnica, Extrativista e Rural do Acre (Emater) Murilo Mato, existem peculiaridades na região que podem favorecer no crescimento da fruta.

“Talvez seja o microclima de Tarauacá que favorece essa espécie, que já foi estudada fora de lá. O máximo que chega é seis quilos. Agora estão enfrentando problemas que estão rachando, quando há previsão de aparecer um maior tem esse probleminha aí. Estamos estudando e tentando resolver problema para dá um abacaxi maior”, destacou.

Matos garantiu que o produtor José da Silva tem recebido todo acompanhamento técnico de sua produção. “Estamos aí com o acompanhamento dele diariamente. Sempre repassa, por celular, WhatsApp, e sempre acompanhamos ele para chegar no ponto do abacaxi”, frisou.

Seja o plantio até simples, seja o microclima ou qualquer outro aspecto da região, para o produtor, o importante é cuidar bem da produção. “Porque se cuidar mal dá um mau fruto, se cuidar bem dá um bom fruto”, disse José da Silva.

Com informações g1.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS