Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Assassino de crianças e profissionais de creche em SC tem alta e vai para presídio

Como Saudades não tem unidade prisional, ele ficará detido em Chapecó, a 70 km de distância. Ataque a creche aconteceu na manhã de 4 de maio; três crianças e duas mulheres morreram.

_________________Publicidade_________________

O homem de 18 anos que invadiu uma creche e matou cinco pessoas  há cerca de uma semana em Saudades, no Oeste catarinense, recebeu alta hospitalar na manhã desta quarta-feira (12). Segundo o Departamento de Administração Prisional (Deap), ele está detido no Presídio Regional de Chapecó, na mesma região — Saudades, onde o crime ocorreu, não tem unidades prisionais.

O ataque a creche aconteceu na manhã de 4 de maio. Três crianças e duas mulheres, sendo uma professora e a outra agente educacional, morreram. Uma quarta criança ficou ferida, foi hospitalizada e  recebeu alta no domingo (9).

O assassino foi preso em flagrante no dia do ataque e levado ao hospital após dar golpes contra o próprio corpo. Ele estava internado no Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, na mesma região. Dias depois, a  Justiça determinou a prisão preventiva dele.

Em nota, o Deap informou que ele ficará em isolamento cumprindo os protocolos de prevenção à Covid-19. A Polícia Civil informou que não há previsão de quando ele será ouvido novamente. O inquérito policial deve ser encerrado nesta semana.

“Por questão de segurança do interno, não fornecemos detalhes sobre as celas ou localização dentro da unidade. Nos próximos 14 dias ele ficará em isolamento cumprindo o protocolo sanitário”, informou o Deap.

Na segunda segunda-feira (10), ainda no hospital, ele prestou depoimento. Segundo a Polícia Civil, a conversa durou cerca de uma hora, mas detalhes não foram divulgados para não atrapalhar as investigações.

Familiares e amigos das cinco vítimas mortas no ataque a creche em Saudades, no Oeste catarinense, realizaram uma homenagem em frente à unidade infantil nesta terça-feira (11), uma semana após as mortes.

As vítimas

Keli Adriane, Sarah Luiza, Anna Bela, Murilo Massing e Mirla Renner são as vítimas do atentando a creche em Saudades (SC) — Foto: Reprodução/Redes Sociais; Reprodução/NSC TV

Keli Adriane, Sarah Luiza, Anna Bela, Murilo Massing e Mirla Renner são as vítimas do atentando a creche em Saudades (SC) — Foto: Reprodução/Redes Sociais; Reprodução/NSC TV

  • Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, era professora e dava aulas na unidade havia cerca de 10 anos
  • Mirla Renner, de 20 anos, era agente educacional na escola
  • Sarah Luiza Mahle Sehn, de 1 ano e 7 meses
  • Murilo Massing, de 1 ano e 9 meses
  • Anna Bela Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses.

Um homem de 18 anos invadiu a escola Aquarela com duas facas às 10h de terça (4).

A creche fica na cidade de Saudades (SC), 600km de Florianópolis, e atende crianças de 6 meses a 2 anos.

20 crianças estavam no local sob os cuidados de 5 professoras.

A primeira pessoa que o assassino atacou foi a professora Keli Adriane Aniecevski. Mesmo ferida, ela correu para uma sala, onde estavam quatro crianças e a agente educativa Mirla Renner, de 20 anos.

O homem chegou até a sala e continuou os ataques, matando Keli e três crianças. Mirla chegou a ser socorrida, mas não resistiu.

Todas as vítimas foram atingidas com, pelo menos, cinco golpes de facão.

O assassino tentou entrar em todas as salas da creche, mas professoras conseguiram se trancar e proteger as crianças.

Na casa do assassino, a polícia encontrou R$ 11 mil e duas embalagens de facas novas.

O velório e o sepultamento das cinco vítimas foram coletivos.

O homem foi autuado em flagrante por cinco homicídios triplamente qualificados, além de uma tentativa de homicídio contra a criança que foi ferida.

A Justiça de Santa Catarina converteu a prisão em flagrante do autor para prisão preventiva.

A polícia está analisando computadores encontrados na casa de autor e ouvindo testemunhas.

O autor do ataque foi ouvido pela polícia ainda no hospital seis dias após invadir a creche com facão. O teor do depoimento não foi detalhado.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas