Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Após Bocalom “receitar” Kit Covid, MPAC instaura procedimento

A declaração do prefeito Tião Bocalom dada na Câmara de Vereadores no início do mês de março afirmando que a prefeitura iria continuar distribuindo cloroquina e ivermectina, medicamentos sem eficácia comprovada no tratamento da Covid-19, continua a ter desdobramentos.

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) anunciou nesta terça-feira, 30, que instaurou notícia de fato para apurar a compra e distribuição dos remédios que compõem o chamado “kit Covid”, por parte da Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco.

O procedimento extrajudicial é de iniciativa da 1ª Promotoria Especializada de Defesa do Patrimônio Público, Fiscalização das Fundações e Entidades de Interesse Social.

A promotora de Justiça Myrna Mendoza já solicitou informações ao prefeito e vai solicitar das demais autoridades municipais sobre o procedimento de compra dos remédios.

Associações médicas, entidades farmacêuticas e especialistas dizem que drogas como hidroxicloroquina/cloroquina e ivermectina não têm eficácia no tratamento ou prevenção da Covid-19, e que seu uso indevido tem provocado reações adversas nos pacientes.

Bocalom chegou a ser suspenso por 48 horas do Facebook ao defender o uso dos remédios na rede social.

Com informações da Agência de Notícias do MPAC.

Via-Ac 24 horas

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas