Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Ao 60 anos, trabalhador rural vai à sala de aula pela primeira vez para realizar sonho no AC: ‘Quero ler a bíblia’

_________________Publicidade_________________

A falta de oportunidade, o trabalho na roça que começou aos 8 anos e a moradia dentro da mata impediram o trabalhador rural Alfredo Silva, de 60 anos, de realizar o maior sonho da vida: aprender a ler e escrever. Mas, em 2021, a vida dele está prestes a mudar. Silva se matriculou no Programa Educação de Jovens e Adultos (EJA) em Sena Madureira, interior do Acre, e vai começar a estudar pela primeira vez ainda este mês.

A matrícula foi feita com incentivo da esposa, Rosa Maria Silva, e pelo desejo que ele tem de conseguir a ler a bíblia. Silva e a família fazem parte de uma igreja evangélica há cerca de 12 anos. Pregador da palavra de Deus, o trabalhador espera a mulher, que é alfabetizada, ler o versículo bíblico para começar os ensinamentos.

“Nunca estudei, não tive oportunidade quando era criança, morava no seringal e quando apareceu escola no seringal já estava adulto e ficou difícil estudar. Tenho muita vontade de ler a palavra de Deus, o evangelho, prego há 12 anos e minha esposa que lê para mim. Quero ler a bíblia sozinho”, revelou o trabalhador.

A matrícula na Escola Raimundo Hermínio de Melo foi feita há cerca de duas semanas. Foi a mulher do trabalhador que perguntou se o marido podia estudar quando foi fazer transferência da filha de 7 anos. Silva aguarda a ligação da coordenação da escola com as orientações sobre o início das aulas. Ele ainda não sabe se as aulas vão ser presenciais ou remotas devido à pandemia.

“Nunca tinha entrado em uma escola, me matriculei agora. As aulas não começaram ainda, ficaram de ligar para avisar quando vai começar. Quero ler a palavra de Deus porque, para mim, só existe Jesus e mais nada. A esperança é só Jesus. Começando a ler é bom demais”, destacou.

A mulher matriculou o marido na mesma escola da filha, Francileia Vitória Diniz, de 7 anos. A menina já começou a estudar. A mãe vai na escola e pega o material para ela fazer os exercícios em casa. “Fui na escola me informar quando fiz a transferência da minha filha sobre ele. Quero que ele leia sozinho.”

Alfredo Silva é casado com Rosa Maria há 12 anos e do casamento nasceram dois filhos  — Foto: Arquivo pessoal

Alfredo Silva é casado com Rosa Maria há 12 anos e do casamento nasceram dois filhos — Foto: Arquivo pessoal

Mudança

Silva se mudou para a zona urbana de Sena Madureira há dois meses. Ele morava no Seringal São Sebastião, no Rio Iaco, zona rural, com a mulher e um casal de filhos, uma menina de 7 anos e um menino de 6 meses.

O trabalhador contou que vendeu a propriedade que tinha e se mudou devido a problemas de saúde. Silva é aposentado por causa de problemas na coluna e há seis meses faz tratamento contra dois tipos de hepatites, B e Delta.

“Estou aposentado. Não aguento trabalhar porque estou em tratamento contra a hepatite B e Delta. Estou em tratamento há seis meses. Por isso também que mudei para a cidade, porque não aguento trabalhar no pesado, na colônia é trabalho no pesado”, acrescentou.

Alfredo Silva vai estudar na mesma escola da filha de 7 anos — Foto: Arquivo pessoal

Alfredo Silva vai estudar na mesma escola da filha de 7 anos — Foto: Arquivo pessoal

Silva sempre trabalhou na zona rural. Ele nasceu no Seringal Alto Purus, também na zona rural de Sena Madureira, onde morava com os pais e três irmãos. Antes de ele completar oito anos, os pais de do trabalhador rural se separaram e a mãe foi morar em um seringal do Rio Iaco.

Ele e um irmão foram junto com a mãe e o pai ficou com um casal de filhos. Sem acesso à escola, ele começou a trabalhar muito cedo para ajudar a mãe. “Desde criança nunca me acostumei com a miséria, queria ter a coisas e não conseguia. Fui ajudar minha mãe, sai de casa aos 23 anos quando casei pela primeira vez e fui ter minha família”, relembrou.

Foi no trabalho braçal e debaixo de sol que o aposentado criou os filhos, formou família e conseguiu comprar a propriedade onde morava. Aos 60 anos, ele vendeu tudo e teve que ir morar na cidade para realizar o sonho de estudar. “Estou ansioso, porque tudo sobre trabalho braçal aprendi um pouco, mas ler nunca aprendi”, comemorou.

Família se mudou para a zona urbana de Sena Madureira para Alfredo Silva aprender a ler e continuar o tratamento contra hepatite — Foto: Arquivo pessoal

Família se mudou para a zona urbana de Sena Madureira para Alfredo Silva aprender a ler e continuar o tratamento contra hepatite — Foto: Arquivo pessoal

Incentivo da esposa

Alfredo e Rosa estão juntos há 12 anos, mesmo período em que o trabalhador começou a frequentar a igreja. O casal fazia reuniões com membros da igreja na residência deles e Rosa começou a alimentar o desejo de ver o marido lendo.

“Incentivei ele a se matricular. Sempre incentivei a estudar para aprender. Tudo o que quer fazer me pergunta e sinto uma frustração porque é uma coisa que pode ter para ele, entender e saber melhor. É muito entendido e quero o melhor para ele”, falou Rosa.

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas