Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Amigos planejaram matar jovem um dia antes do crime em Goiânia, diz delegado

_________________Publicidade_________________

A Polícia Civil apurou que os três suspeitos de  matar jovem Ariane de Oliveira, de 18 anos, planejaram o crime um dia antes, em  Goiânia. Segundo as investigações, eles agiram porque uma das investigadas acreditava ser psicopata e a forma que pensou de descobrir se de fato tinha algum distúrbio seria matando uma pessoa e avaliando como se sentiria depois.

Jeferson Cavalcante Rodrigues, de 22 anos, Raíssa Nunes Borges, de 19, e Enzo Jacomini Carneiro Matos, de 18, que usa o nome de Freya,foram presos na quarta-feira (15).

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informou que, na manhã desta quinta-feira (16), o trio ainda estava detido na Delegacia de Capturas (Decap). O Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) informou que, até por volta de 12h15, não havia registro de audiência de custódia dos presos.

G1 não conseguiu descobrir quem representa a defesa dos presos para pedir uma posição sobre o caso.

Como foi o crime

O delegado responsável pelo caso, Marcos Gomes explicou como o trio se organizou para cometer o crime dentro de um carro:

  • Eles fizeram uma lista com três possíveis vítimas e escolheram Ariane por ela ser pequena, portanto mais fácil de segurar, caso resistisse;
  • Os amigos chamaram a vítima para lanchar e a buscaram em casa – Ariane havia dito à mãe que voltaria mais tarde;
  • Jeferson ficou responsável por levar o carro, forrar o porta-malas com sacos de lixo (para levar o corpo até o local onde ele seria deixado) e providenciar as facas;
  • Eles colocaram uma música sobre homicídio para tocar durante o passeio e, em um dado momento, o motorista estalou os dedos, o que a Polícia Civil descobriu que era a indicação para Ariane ser morta;
  • “O Jeferson era o motorista, Enzo estava no banco do passageiro e a Raíssa estava no banco de trás com a vítima. Primeiro o Enzo enforcou a vítima, depois a Raíssa deu as facadas”, descreveu o delegado.
Enzo Jacomini, Jeferson Rodrigues e Raíssa Borges foram presos suspeitos de matar amiga — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Enzo Jacomini, Jeferson Rodrigues e Raíssa Borges foram presos suspeitos de matar amiga — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Amigos de Ariane, diz mãe

Mãe da vítima, Eliane Laureano contou que conhecia os suspeitos, pois eram amigos de sua filha. No dia do crime, ela disse que a filha já estava de pijama em casa, quando eles a chamaram para sair.

“A Ariane saía muito e sempre me mandava vídeos com quem ela estava, inclusive, vídeos com eles. No dia, ela estava pronta para dormir e eles a tiraram de casa. A chamaram para morte”, lembrou.

Após perder a filha de 18 anos assassinada, a cabeleireira Eliane Laureano da Silva, de 35 anos, pede que o caso não fique impune.

“Peço justiça. Que quem está com o caso que olhe de outra forma e que faça justiça para amanhã essa pessoa não estar fazendo outras vítimas”, desabafou.

A mãe da jovem contou ao G1 que ficou “chocada” com a crueldade dos suspeitos e disse que está fazendo acompanhamento com psicólogo.

“Estou mal. Não sei onde recorrer. Não tenho mais forças, até água que tomo, estou vomitando. Saudade eterna da minha filha. Até hoje não entrei no quarto dela, não consegui”, relatou.

Eliane Laureano fala sobre a morte da filha  — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Eliane Laureano fala sobre a morte da filha — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Via-G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas