Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Aleac promove audiência pública para debater condições da BR-364: “Encontrar uma solução”

Deputados devem convocar empresários e o DNIT para explicações sobre buracos e riscos de suspensão do tráfego

_________________Publicidade_________________

Deputados da comissão de transporte e infraestrutura da Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac) se reúnem nesta terça-feira (21) em audiência pública para debater as atuais condições de trafegabilidade da BR-364, no trecho que liga Rio Branco a Cruzeiro do Sul, no Vale do Juruá. Trata-se de um trecho em torno de 700 quilômetros que em, em muitos pontos, está praticamente intrafegável e os deputados querem saber de quem é a culpa.

Em alguns trechos, como a partir de Sena Madureira até a Feijó, a buraqueira na estrada ameaça suspender a trafegabilidade. Há riscos de isolamento em outros trechos. “A estrada está voltado a ser ramal”, disse o deputado estadual Luiz Gonzaga (PSDB), autor do requerimento para a realização do encontro. O diretor do DENIT (Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre) deverá ser convidado a prestar esclarecimentos sobre, ao que parece, uma discriminação em relação ao Acre. É que a mesma BR-364, no trecho entre Cuiabá (MT) e Porto Velho (RO), é melhor conservada.

Os empresários das empresas contratadas para a manutenção da rodovia também serão chamados a depor. Uma das empresas, do empresário Jarbas Soster, é uma das contratadas para a manutenção. Crítico da qualidade das obras no passado, quando não era contratado pelo DNIT, o empresário agora mudou de ideia. Quando questionado em relação à qualidade, ele diz que isso tem a ver com o valor pago pelo DNIT.

De acordo com o empresário, num quadro em que tudo sobe diariamente, da comida do peão ao preço do combustível, o DNIT não paga esse reajuste e a empresas muitas vezes têm que trabalhar com material de baixa qualidade. “A audiência pública será para encontrarmos uma solução”, disse Jarbas Soster.

Por Tião Maia, do Contilnet

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas