18 de maio de 2022   |   18:50  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Acusado de matar cunhado e tentar matar esposa em Assis Brasil é morto a tiros

_________________Publicidade_________________

Conforme a polícia, Pereira estava trabalhando em colônia fazendo uma cerca e quando parou para almoçar, um homem saiu do matagal e efetuou disparos contra ele. Mesmo com a vítima caída no chão, o autor se aproximou e deu outros tiros a queima roupa.

Sebastião Alves Pereira, de 50 anos, foi assassinado a tiros nessa quinta-feira (7) em propriedade na zona rural da cidade de Assis Brasil, interior do Acre. Ele era acusado de matar o cunhado e atirar na esposa e em outro irmão da mulher na zona rural de Assis Brasil, no interior do Acre, em setembro de 2020.

Pessoas que estavam no local e testemunharam o crime correram com medo de também serem alvejadas. Após os disparos, o autor fugiu do local. A polícia chegou a fazer buscas na região, mas nenhum suspeito foi preso. A vítima foi atingida por cerca de quatro tiros, sendo dois na cabeça.

Envolvido em crime

Pereira chegou a ser preso logo após o crime e estava em liberdade enquanto aguardava ser julgado pela morte do cunhado e por tentar matar a esposa e um outro irmão dela. O crime ocorreu em uma colônia na mesma região da zona rural de Assis Brasil.

De acordo com o processo, o acusado era casado com Heroína Ferreira dos Santos há 15 anos e teve dois filhos, uma menina de 14 anos e outro menino de 5 anos. No dia 4 de setembro de 2020, um dos irmãos da mulher colocou fogo na propriedade e isso gerou uma confusão.

Ozias dos Santos e Luciano dos Santos foram até a irmã saber se estava tudo bem e foi quando o acusado chegou e atirou em Ozias. Ainda segundo os relatos, a irmã tentou intervir e acabou levando um tiro no ombro. O outro irmão da mulher, Luciano, também foi atingido na confusão.

Com informações G1.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS