Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Acreanos são presos em Cobija; grupo planejava sequestros e roubos, diz polícia

_________________Publicidade_________________

Pouco mais de uma semana de assinado, o Fórum Binacional de Segurança entre os brasileiros e bolivianos, na fronteira de Pando com o Alto Acre, com o objetivo de unir esforços contra crimes transfronteiriços, começaram a dar resultados. A polícia e a promotoria de Justiça de Cobija, a capital boliviana de Pando que faz fronteira com os municípios de Epitaciolândia e Brasileia, apresentaram, no último final de semana, pelo menos cinco acreanos que integravam uma quadrilha composta também por bolivianos para cometerem assaltos na fronteira.

O grupo era integrado por dois homens, duas mulheres e um menor, informou a polícia. De acordo comas autoridades bolivianas, o grupo, liderado pelos bolivianos, pretendiam cometer assaltos e sequestros na Avenida 6 de Agosto, uma das principais ruas de Cobija, onde está o centro financeiro da cidade. Um dos alvos, segundo o serviço de inteligência do governo boliviano, seria o Hotel Victória. Os brasileiros presos devem ser condenados e expulsos da Bolívia para cumprimento de pena no Brasil.

Na semana que passou, sob a liderança do secretário de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cézar Santos, um grupo de autoridades brasileiras do Acre participou do encontro com representantes das polícias Civil e Militar, policiais penais e Corpo de Bombeiros, além de representantes da Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, com autoridades equivalentes da Bolívia. Entre as principais discussões entre os países, foi o intercâmbio de informações de inteligência, em relação aos sistemas penitenciários, estratégias de combate ao tráfico de pessoas e, principalmente, a luta contra o narcotráfico.

O coronel Paulo Cézar disse que o Acre vive uma condição praticamente única em sua fronteira, conectado a dois países, com a necessidade de uma ação do Estado para minimizar os impactos da violência. Com o governador Gladson Cameli estabelecendo como uma de suas prioridades o combate aos crimes transfronteiriços desde o início da gestão, o governo se prepara para ter seu primeiro Centro Integrado de Comando e Controle ainda neste primeiro semestre, junto a um pacote de ações pontuais por meio do Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (Vigia), do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Uma das preocupações das autoridades dos dois países é combate à ação das facções e recuperação de veículos brasileiros que são roubados no Acre e levados para Cobija. A governadora de Pando, Paola Tarraxas, disse que o compromisso do governo local também seria o combate ao crime, principalmente coibindo a expansão de grupos faccionados do Brasil que estariam buscando refúgio e expansão de suas ações para o território boliviano.

Neste sentido, a ação entre autoridades dos dois países começou a dar resultados, com a prisão de brasileiros e bolivianos integrando uma quadrilha comum. Além de presos, os brasileiros foram apresentados à sociedade na fronteira em vídeos produzidos pelas autoridades bolivianas.

Via: Contilnet

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas