Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Acreanos já pagaram R$ 300 milhões a mais em impostos

_________________Publicidade_________________

O Impostômetro alcançou às 19 horas desta quarta-feira (19), a marca de R$ 1,6 bilhão em tributos pagos pelos acreanos em 2021. Esse valor é superior cerca de R$300 milhões em relação ao mesmo período do ano passado: a soma dos impostos arrecadados entre 1º de janeiro e 19 de maio de 2020 passou dos R$ 1,3 bilhão.

Em nível nacional, não é diferente e já aponta que os contribuintes brasileiros devem pagar mais dinheiro para os cofres públicos neste ano do que pagaram em 2020 e, até mesmo, em 2019, época sem pandemia.

Foram determinantes para o alcance dessa marca o aumento da inflação no período, comparada com as elevações de preços de produtos registradas anteriormente, a desvalorização do real frente ao dólar e o crescimento da economia em alguns setores como os relacionados ao aumento das importações, à indústria, à saúde, aos grandes varejistas e ao comércio considerado não essencial. Houve também a elevação de compras online e pedidos delivery neste ano.

De 2016 a 2019, segundo dados do IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação), os brasileiros tiveram de trabalhar 153 dias para pagar impostos. No ano passado, foram 151. Ou seja, apenas dois dias trabalhados a menos.

O Impostômetro calcula automaticamente os dados utilizados pela Receita Federal, Secretaria do Tesouro Nacional, Caixa Econômica Federal, Tribunal de Contas da União e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As receitas dos estados e do Distrito Federal são apuradas com base nos dados do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), das Secretarias Estaduais de Fazenda, Tribunais de Contas dos Estados e Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda.

As arrecadações municipais são obtidas por meio dos dados da Secretaria do Tesouro Nacional, dos municípios, que divulgam seus números em atenção à Lei de Responsabilidade Fiscal, dos Tribunais de Contas dos Estados.

Somados, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto sobre Serviços (ISS), o Programa de Integração Social/Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (PIS/Cofins), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e o Imposto de Importação representam a maior fatia de arrecadação para os cofres públicos. Vale destacar também como representativo para os cofres públicos o montante pago pela população e pelas empresas em Imposto de Renda.

Via: Ac 24 Horas

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas