14 de agosto de 2022   |   11:18  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Acreanas vão participar do 10° Fórum Social Pan-Amazônico

A 10° edição do Fórum Social Pan-Amazônico, que reúne lideranças de nove países da Amazônia — Brasil, Venezuela, Peru, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa e Suriname —, vai contar com a participação de seis representades do Acre.

_________________Publicidade_________________

A 10° edição do Fórum Social Pan-Amazônico, que reúne lideranças de nove países da Amazônia — Brasil, Venezuela, Peru, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa e Suriname —, vai contar com a participação de seis representades do Acre. O evento será realizado na Universidade Federal do Pará, em Belém, de 28 a 31 de julho.

A comitiva de mulheres acreanas é composta pela presidente do Instituto Mulheres da Amazônia (IMA), Concita Maia, pela liderança religiosa da Tenda de Umbanda Luz da Vida, Mãe Mara Joana de Xangô (Mara Joana Maia), pela ouvidora da Defensoria Pública do Acre, Soleane Manchineri, pela liderança indígena Edina Shanenawa, pela coordenadora técnica do Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM/AC/CDDHEP), Joelda Pais, e pela conselheira estadual dos Direitos da Mulher, Maria Meirelles.

O Fórum Social Pan-Amazônico (FOSPA) é um evento de alcance global que surge no âmbito do Fórum Social Mundial, para lutar pela vida, a Amazônia e seus povos. É um espaço de articulação dos povos e movimentos sociais para a incidência e a resistência política e cultural frente ao modelo de desenvolvimento neoliberal, neocolonial, extrativista, discriminador, racista e patriarcal.

Durante o Fospa, o IMA e o Movimento Articulado de Mulheres da Amazônia (MAMA) irão lançar a Agenda 2021/2030 das Mulheres da Amazônia na Casa dos Povos e Direitos. A Agenda foi construída e elaborada por mulheres dos nove Estados da Amazônia Legal Brasileira e apresenta estratégias para fortalecer as políticas públicas para mulheres na região. Além de elaborar propostas que possibilitem avançar na garantia e na ampliação de direitos sobre os territórios numa perspectiva interseccional e integradora de múltiplas realidades, influenciando mudanças na agenda pública que melhore a qualidade de vida das mulheres em suas diversas pluralidades.

Conheça as acreanas que estarão no Fospa

Concita Maia

A presidente do IMA vai mediar a mesa oficial do FOSPA, com o tema ‘Fundamentalismo Religioso e Espiritualidade’, na Casa dos Povos e Direitos. Concita Maia é acreana, feminista, pedagoga, mestra em educação, representante Movimento de Articulação do Mulheres da Amazônia Legal Brasileira (Mama), Operativa Nacional do Levante Feminista e representante do Levante Feminista no Acre e Conselheira Estadual dos Direitos da Mulher no Acre.

Mãe Mara Joana de Xangô

A também acreana, Mãe de Santo Marajoana de Xangô, vai contribuir na discussão sobre ‘O que a sua fé tem feito para defender a Amazônia?’ e sobre ‘Direito à Espiritualidade Pan-Amazônicas: Combate ao Fundamentalismo’. A dirigente espiritual atua na Umbanda há 21 anos e fundou a Tenda de Umbanda Luza da Vida, terreiro que trabalha com a reforma intíma e transformação do ser. Mara Joana cursa Ciências da Religião. O início das atividades da tarde, no dia 29, no Tapiri Ecumênico será marcado por uma apresentação musicoespiritual dos ogãs Domingos de Oxóssi e Thays de Xando, de seu terreiro.

Edina Shanenawa

A cacique da Aldeia Shane Tatxa, Feijó, interior do Acre, Pakashaya (Edina Shanenawa) vai falar sobre como o fundamentalismo religioso e o racismo têm afeto os povos indígenas. A liderança do povo Shanenawa é coordenadora da União das Mulheres Indígenas da Amazônia Brasileira (Umiab), no Acre, e é ativista em defesa do direito da mulher indígena.

Soleane Manchineri

A quarta integrande da comitiva de mulheres do Acre é do povo Manchineri e foi a primeira mulher indígena do Brasil a ocupar o cargo de Ouvidora-Geral num Defensoria Pública de Estado. Historiadora e Mestra em Identidade e Linguagem pela Universidade Federal do Acre, Soleane vai integrar, no Fospa, a mesa sobre ‘Dierito à Autodeterminação dos Povos Indígenas e dos Povos Indígenas Isolados e Recente Contato com a América Latina’. “É hora de pensarmos na nossa dignidade. E o Acre não pode ficar de fora, tem que externalizar sua lutas e resistências nesse cenário mundial. Vamos aldear nações, o mundo. Precisamos de um mundo melhor”, disse.

Joelda Pais

A socióloga Joelda Pais também integra o time das mulheres do Acre. Cientista social, socióloga e historiadora, Joelda é especialista em Políticas Públicas de Gênero e Raça-Etnia. Foi Gestora do Pacto Estadual pelo Enfrentamento a Violência contra as Mulheres no Governo do Estado do Acre, gerenciou a Casa Abrigo Mãe da Mata, atualmente é Coordenadora Técnica do Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte – PPCAAM/AC/CDDHEP, Conselheira do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher e membro IMA. Ela vai apresentar, junto a outras ativistas, a Agenda 2021/2030 das Mulheres da Amazônia.

Maria Meirelles

A vice-presidente do Instituto Mulheres da Amazônia (IMA), Maria Meirelles, fecha com chave de ouro o time da comitiva acreana que participará ativamente das discursões do Fospa 2022. Capitã da Tenda de Umbandista Luz da Vida, Maria é conselheira do Conselho Estadual dos Direitos Mulher e também vai apresentar a Agenda Agenda 2021/2030 das Mulheres da Amazônia nos debates do fórum.

Com Informações Gazeta do Acre

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS